Algarve é a região sul de Portugal, com crescimento económico estável e boa qualidade de vida, conhecido pelas praias, pelo golf, pela tradição e assimetria entre as povoações piscatórias e agrícolas...

Algarve é a região sul de Portugal, com crescimento económico estável e boa qualidade de vida, conhecido pelas praias, pelo golf, pela tradição e assimetria entre as povoações piscatórias e agrícolas…

Algarve, a região sul de Portugal

O Algarve é a região turística situada a sul de Portugal, com uma costa banhada pelo Oceano Atlântico a Sul e a Oeste. Reconhecida como o melhor destino de praia nacional, campos de golf reconhecidos mundialmente, e um dos melhores destinos de férias na Europa, a região destaca-se pela grande beleza natural, o seu clima apelativo e o vasto número de localidades cuja herança religiosa, histórica e cultural é manifesta. O Algarve é muitas vezes dividido em duas partes, o Barlavento e o Sotavento Algarvio. O Barlavento corresponde à zona ocidente, integrando localidades como Albufeira, Portimão, Lagos, Sagres, Aljezur e outras, que se destaca por uma região litoral repleta de falésias e arribas que envolvem as praias de areia clara. O Sotavento é a zona mais oriental do Algarve, que integra a zona de investimento do Triângulo Dourado (os resorts de Quinta do Lago, Vale do Lobo e Vilamoura) e localidades como Quarteira, Loulé, Faro (capital do Algarve), Olhão, Tavira e Vila Real de Santo António, incluindo o Parque Natural da Ria Formosa e alguns dos campos de golfe mais aclamados da região. O Algarve está também dividido pela a Serra do Caldeirão, a maior cordilheira da região que separa a região litoral e o barrocal algarvio, acentuando as diferenças paisagísticas do Algarve e levando-nos desde os longos areais claros, delimitados por arribas do litoral, até ao verde natural da Serra Algarvia, num cenário com vegetação endémica e locais de grande interesse geológico, histórico e cultural. Para os mais aventureiros, percorrer a Grande Rota Pedestre conhecida como Via Algarviana será também imperativo, sendo que esta se estende por 300 quilómetros, segmentados em parcelas de menor dimensão que ligam, na sua extensão, Alcoutim e Cabo de S. Vicente. A Via Algarviana passa pelos principais pontos de interesse de vários concelhos algarvios, permitindo um panorama geral do Algarve. A par com esta, a Ecovia Litoral permite momentos de caminhada ou de ciclismo por caminhos de ciclovia e de terra batida, ligando, através de um percurso litoral de grande beleza natural com vista privilegiada sobre as arribas, escarpas e o mar, desde a localidade de Vila Real de Santo António até Sagres.

O que fazer no Algarve

O Algarve destaca-se como destino turístico de referência, com uma grande diversidade de atividades adequadas a todo o tipo de visitante. Entre os pontos mais apelativos da região, encontramos as praias de areia branca, banhadas pelo Oceano Atlântico com cenários recortados por falésias de tonalidade avermelhada, pelas águas límpidas e pelas dunas. Muitas destas praias são internacionalmente procuradas por surfistas, sendo que a costa oeste, a zona de Sagres é uma referência internacional para a prática de surf. O golf é outro dos desportos de referência no Algarve, existindo inúmeros campos de golf onde podemos aproveitar algumas das melhores infraestruturas europeias de golfe. A par com estes campos verdejantes, as paisagens idílicas da natureza local destacam o Algarve como destino natural, onde as caminhadas na natureza permitirão o contacto com paisagens incríveis e experiências de observação da vida animal, incluindo Bird Watching (observação de aves). Por fim, os principais municípios do Algarve permitirão o contacto com a cultura, a tradição e a história locais, através das suas festividades, de museus com acervo farto e diversificado, e do vasto património edificado. E gastronomia local, com pratos de peixe fresco durante todo o ano, receitas tradicionais desde os sabores da serra, até à frescura do mar, incluindo a doçaria de amêndoa, figo e alfarroba.

Municípios do Algarve

Mapa dos 16 Municípios da região de Faro, Algarve no Sul de Po

Mapa dos 16 Municípios da região de Faro, Algarve no Sul de Portugal

No Algarve existem 16 municípios, nomeadamente Loulé, São Brás d’Álportel, Faro, Olhão, Tavira, Castro Marim , Vila Real de Santo António, Alcoutim, Albufeira, Portimão, Lagoa, Silves, Monchique, Lagos, Vila da Luz, Sagres (Vila do Bispo), e Aljezur. Todos estes englobam freguesias de interesse, e no caso de Loulé, engloba os 3 resorts conhecidos como o Triângulo Dourado de Portugal.

Triângulo Dourado

O Triângulo Dourado no Algarve é um nome atribuído aos 3 resorts de Vilamoura, Quinta do Lago e Vale do Lobo. Um destino turístico de referência na região algarvia devido ao diferencial de qualidade que proporcionam aos visitantes e moradores. São resorts de luxo que se estendem pela costa atlântica, conquistando renome internacional como empreendimentos turísticos de alto standing: Quinta do Lago, Vale do Lobo e Vilamoura. Procurados por investidores e turistas de todo o mundo, estes espaços modernos contam com inúmeras comunidades estrangeiras das mais diversas proveniências, criando um espaço multicultural, multilinguístico e onde a pluralidade coabita com o luxo, o ócio e o ambiente permanentemente festivo. O Triângulo Dourado é muito procurado como destino de golf, destino de vela, centro hípico, e destino balnear, tratando-se de um destino turístico de elevado padrão, onde podemos encontrar praias recortadas por dunas e falésias coloridas, uma marina com capacidade para embarcações até 30 metros, e 14 campos de golfe exclusivos que recebem torneios internacionais da modalidade.

Loulé

Loulé é uma localidade do interior algarvio, que se destaca pelo seu centro histórico, pelo património edificado e pela atmosfera tradicional. Os pontos de interesse incluem as igrejas de fachada branca, com exemplares como Santuário de Nossa Senhora da Piedade do século XVI, o maior local de culto à Virgem a sul da cidade de Fátima e que se integra numa envolvente verdejante, destacando-se pela imponente fachada branca com duas torres sineiras e o interior da qual podemos ver uma rica imagem do século XVI, coroada a ouro, conhecida como Mãe Soberana. O Castelo de Loulé é outro ponto de interesse, com a uma arquitetura medieval militar, apresentando traços islâmicos originais do século VIII, destacando-se com as torres albarrãs e o integrado museu arqueológico, cujo acervo inclui artefactos encontrados na região de origem moura, romana e lusitana. Além deste museu, salientamos ainda outros locais culturais, como a Casa da Cultura de Loulé, situada no Edifício Duarte Pacheco que promove alguns dos eventos artísticos mais emblemáticos região e o Museu Municipal de Loulé, com os seus diversos polos museológicos, que foca a história regional desde o tempo pré-histórico até à modernidade, sem esquecer a tipicidade gastronómica e arquitetónica.

Caminhando pela cidade antiga de Loulé, do castelo até ao centro histórico, encontramos partes da muralha defensiva, e no Largo D. Pedro I encontramos Chafariz das Bicas Velhas. Nas proximidades, a Ermida de Nossa Senhora da Conceição é um ponto de referência, sendo que, apesar da fachada simples, alberga valiosos painéis oitocentistas no seu interior. O Mercado Municipal de Loulé surge como espaço de grande valor cultural e comercial na região, destacando-se pela arquitetura rica, de influência neoárabe com arte nouveau, a fachada branca e vermelha, com cúpula e janelas mouriscas, com bancas tradicionais de produtos regionais coloridos, como frutas e legumes, queijos, chouriços, pão, doces regionais, e bancas de peixe fresco. Ainda em Loulé encontramos a Estátua de António Aleixo, uma estátua em tamanho real do poeta popular, sentado num banco com uma mesa na qual podemos ler alguns dos seus versos inscritos. Entre os espaços religiosos em Loulé, destacamos o Antigo Convento do Espírito Santo, um monumento do século XVIII que alberga a Galeria de Arte Municipal, e o Convento de Santo António construído nos finais século XVII, cuja arquitetura capucha simples acusa a permanência da ordem religiosa de São Francisco, onde atualmente é utilizados para a realização de vários eventos culturais. Entre o património religioso, referimos a gótica Igreja Matriz de Loulé (ou Igreja de São Clemente), erigida sobre uma mesquita, com destaque para o campanário de estilo barroco, adaptado a partir do prévio minarete muçulmano. A beleza natural da região pode ser contemplada na Fonte do Cadoiço, um local idílico no meio urbano, com uma pequena cascata sobre uma lagoa e rodeado de vegetação.

Outros locais de interesse em Loulé

No concelho de Loulé existem vários locais de interesse natural e cultural que integram o roteiro turístico da região. Locais como a Rocha da Pena, um afloramento rochoso onde encontramos uma biodiversidade rica, paisagens de bosque e uma encosta rochosa. Aqui perto, em Salir encontramos uma povoação de entorno agrícola e encimada pelas ruínas de um antigo castelo, onde a tradicionalidade prevalece em lendas e festividades. Nesta região, a Fonte Benémola, atravessada pela ribeira de Menalva, surge como área natural de paisagem protegida, cuja abundância aquífera enriquece a diversidade de flora e fauna num cenário ponteado de moinhos, noras, açudes e levadas que podemos conhecer através de caminhadas pelo seu circuito pedestre, sendo que a selvagem Ribeira de Algibre, que encontramos nas proximidades, merece igualmente menção. Nesta região, cultura e natureza convivem na Quinta da Tôr, uma vinha e adega que carrega a tradição vinícola e o sabor dos vinhos da região que se estendem à freguesia do Ameixial, situada em território serrano e rural na Serra do Caldeirão, que se destaca pela hospitalidade, os costumes e o artesanato local. Aqui perto encontramos a Fonte da Seiceira, uma fonte construída no século XIX, um antigo local de grande importância para o fornecimento de uma água rica em ferro, à qual se atribuem propriedades curativas, perto da qual encontramos mesas de piquenique. Igualmente convidativo para atividades desportivas encontramos as Piscinas de Loulé, com várias pistas coberta e exteriores para a prática de natação.
Avançando até ao Sotavento Algarvio, encontramos a localidade de São Brás de Alportel, uma vila tradicional da cultura agrícola de cortiça, que se estende pelo vale, com vistas para a serra e até às proximidades do oceano. Aqui, destacamos o Museu do Traje de São Brás de Alportel, incorporado num edifício de arquitetura burguesa, onde o acervo nos dá a conhecer os trajes típicos da região algarvia. Na mesma localidade, a Igreja Matriz de São Brás de Alportel, de do século XV, reedificada no século XVI e recuperada após o terramoto de 1755, apresenta-nos o raro batistério de mármore, material pouco comum nos monumentos da região, e telas seiscentistas pintadas de grande valor, dispostas na capela-mor.

Vilamoura

Vilamoura é um resort pertencente à freguesia de Quarteira, uma estância balnear enquadrada na região de Loulé particularmente procurada pelo estilo de vida saudável de vida ao ar livre, pelos entusiastas do golfe e pelos apaixonados da vela. Em Vilamoura encontramos vários espaços turísticos exclusivamente dedicados ao golf, sendo que todos estes têm destaque internacional pela qualidade dos seus percursos. O campo Laguna exemplifica isto, tratando-se de um campo de 18 buracos, integrado num terreno costeiro relativamente plano e com poucas árvores, ponteado de obstáculos como lagos e bunkers. O Dom Pedro Millennium é outra opção, destacando-se pelo seu design eclético, com espaços abertos e ponteado de pinheiros, que é considerado um dos melhores campos europeus para a prática da modalidade, a par com o Old Course, o mais antigo campo de Vilamoura conhecido localmente como “Grande Dama do Algarve”, que se destaca pelos sofisticados recursos, as práticas de proteção ambiental e o cuidado dos seus fairways, integrados numa envolvente de pinheiros mansos. Podemos desfrutar também o campo Dom Pedro Pinhal, um campo de golfe premiado e que é conhecido especialmente pelo seu 4º buraco, que nos representa um desafio extra por exigir uma tacada sobre um lago e uma green ondulante. Por fim, destacamos o Pestana Vila Sol, um dos campos mais famosos da região, onde fauna e flora são amplamente respeitados, conferindo-lhe uma envolvente mediterrânica e bonita, recortada por fairways estreitos, com 27 buracos que se estendem por três percursos de jogo.

Vilamoura é um complexo turístico de referência em Portugal, com vários pontos de interesse, nomeadamente a Marina de Vilamoura, localizada entre o oceano e um espaço aberto ladeado de jardins com palmeiras, destaca-se por ter sido a primeira marina portuguesa, mais galardoada de melhor marina nacional. Esta marina é visível desde a praia da Rocha Baixinha Nascente, local indicado para a prática estival e onde as arribas começam a dar lugar às dunas e ao amplo areal. Aqui imediações da marina encontramos o famoso Casino Vilamoura, detido pelo Grupo Solverde, onde podemos divertir-nos e assistir a espetáculos no seio de uma decoração luxuosa e vanguardista, ou participar nas principais salas de jogos. Vilamoura é muito procurada por famílias, devido a albergar infraestruturas de grande interesse letivo, nomeadamente o Colégio Internacional de Vilamoura, uma das instituições de ensino mais prestigiadas da região sul de Portugal, que apresenta o currículo nacional português, e o currículo de Cambridge, com uma aposta na aprendizagem bilingue e no ensino de excelência. A par com este, destacamos igualmente o Centro Hípico De Vilamoura, recentemente distinguido pela “Horse Repúblic” com o galardão “Award Excellence”. Além do pendor familiar conferido pelas estruturas de ensino e desporto, o lazer para toda a família garante-se em espaços como o minigolfe do Family Golf Park, o Observatório de Aves do Caniçal de Vilamoura e a Estação Arqueológica Cerro da Vila, que nos convida para momentos de contacto com a natureza e antiga história da localidade. Soma-se ainda a este leque a praia de Vilamoura, onde podemos aproveitar um oceano pacato e o areal dourado, ou atravessar o Passeio das Dunas, que liga por conexão pedonal Vilamoura a Quarteira, uma cidade com origem piscatória conhecida pelas praias, pelo passeio litoral, e prédios de apartamentos com vista mar, situados a 20 metros da praia.

Em Quarteira, o interessante Mercado do Peixe, situado à beira mar é facilmente identificado pela fachada branca e azul que exibe o seu nome, é um local onde as tradições locais se perpetuam com a venda de pescado fresco. Daqui, seguindo a avenida litoral de Quarteira um calçadão ao longo das aclamadas praias de Quarteira, onde se incluem várias praias limitadas por molhes de pedra, a semiurbana praia do Forte Novo (onde é efetivamente possível ver vestígios do quinhentista Forte Novo); a praia da lagoa do Almargem, rodeada pelos penhascos de tonalidade rubra caraterísticos do Algarve, que se destaca por formar uma pequena lagoa entre a Ribeira do Almargem e o mar; a praia de Loulé Velho, com a sua envolvente rural e um areal amplo; as praias de Quarteira têm pelo areal até à Ilha de Faro, passando pelas praias dos resorts Vale do Lobo, pela praia do Ancão e pela praia de Quinta do Lago, levando-nos até ao Parque Natural da Ria Formosa, à entrada de Faro, no limite do aeroporto.

Faro

Faro é a capital administrativa do Algarve, apresenta-se como uma cidade milenar, repleta de história, tradição e cultura. Conta com um vasto património natural e edificado, com destaque para as praias e as paisagens da Ria Formosa. A chegada a sul de Portugal pode ser feita pelo Aeroporto de Faro, uma estrutura que serve a cidade e restante região sul de Portugal. Em Faro temos a oportunidade de percorrer ruas de pendor mais comercial, como a Rua de Santo António, conhecida como a rua das lojas de Faro, e de imergir na história, passeando pelo centro histórico para conhecermos a cidade velha muralhada, com paragem obrigatória junto ao imponente Arco da Vila, ao histórico e lendário Arco do Repouso e à Porta Árabe, que constitui o único arco do Algarve em ferradura que se localiza no seu lugar de origem. Nesta zona antiga, dentro das muralhas reforçadas pelas duas torres albarrãs, encontramos a Igreja de Santa Maria (ou Sé de Faro), numa praça ornamentada pelo Monumento do Bispo Francisco Gomes de Avelar, figura de destaque regional pelo seu contributo para o desenvolvimento da localidade. A Sé de Faro destaca-se pela arquitetura de traça gótica, barroca e maneirista, remontando ao século XIII e trazendo traços setecentistas e oitocentistas nos valiosos pormenores do seu interior, com destaque para os detalhes em talha dourada, os painéis da capela, os azulejos e os relicários. De igual interesse, em frente à estátua de D. Afonso III, encontramos o Convento de Nossa Senhora da Assunção, uma igreja de estilo manuelino que se destaca pelo pórtico renascentista e a cúpula barroca, assim como pelas gárgulas que ornamentam o piso superior. Este convento alberga atualmente o Museu Municipal de Faro, dentro do qual encontramos um acervo focado na história da região.

Faro oferece-nos ainda outros locais de interesse, tal como o jardim arborizado Manuel Bivar, correspondente ao centro da cidade, e onde acontecem vários eventos culturais. A cultura na cidade manifesta-se também nas exposições do Centro Ciência Viva do Algarve, focando principalmente ciência e o ecossistema da Ria Formosa. Visitando este espaço, vale a pena avançarmos até à Marina de Faro (ou Doca de Faro), o local onde a terra e o mar se unem, permitindo a atracagem de embarcações de recreio. Aqui, encontramos o Museu Marítimo Almirante Ramalho Ortigão, com três salas dedicadas à pesca, instrumentos e utensílios, assim como o Ginásio Clube Naval, que inclui uma escola de vela e de náutica de recreio. No Cais das Portas do Mar (Cais da Porta Nova) podemos embarcar em viagens marítimas pela Ria Formosa, inclusivamente para aceder a alguns dos locais mais bonitos da região, como a Ilha Deserta com a sua praia da Barreta. Na zona limítrofe da cidade podemos desfrutar do Parque Ribeirinho de Faro, dividido em três zonas verdejantes, onde encontramos uma zona pedonal, um local onde a cultura e tradição algarvias são perpetuadas através das casas de pescadores frente à ria.

Património cultural, religioso e histórico de Faro

A imersão na tradicionalidade farense implica que se visite o Mercado Municipal de Faro, situado junto à Sé e cujo edifício branco se destaca pela torre quadrangular central. Este mercado permite a compra de inúmeros produtos frescos locais, apresentando-nos os costumes do povoado. A religiosidade é um dos pontos fundamentais desta tradição, o que estende o convite para conhecermos as igrejas e ermidas locais. No Largo do Carmo encontramos a Igreja do Carmo do século XVIII, um templo de estilo barroco onde se destacam as decorações interiores em azulejo e talha dourada, assim como a anexa Capela dos Ossos, erigida no século XIX. A Igreja da Misericórdia, uma igreja manuelina e seiscentista; a Igreja de São Pedro, de fachada simples e com um interior onde se destaca a Capela do Santíssimo e o seu rico retábulo barroco; a Ermida de Santo António do Alto, uma ermida quinhentista que mistura traços arquitetónicos góticos, manuelinos, barrocos e rococó; a Igreja de Nossa Senhora do Pé da Cruz, cuja fachada é reflexo da arquitetura de variadas épocas e com uma ornamentação interior seiscentista; e o Convento de Santo António dos Capuchos, construído no século XVII, de fachada e ornamentação simples, que serviu durante alguns anos, como espaço museológico de arqueologia. Faro é local de tradição e muitos adeptos de futebol, onde encontramos o Estádio de São Luís, situado perto da igreja com o mesmo nome; os vestígios da passagem romana pela região, nas Ruínas Romanas de Milreu e na Ponte Romana em Estói e o Palácio de Estói, um complexo de elevado valor histórico e datado do século XVII, onde funciona atualmente uma pousada.

Património natural de Faro

O Parque Natural da Ria Formosa, cuja sede se localiza na Quinta de Marim, está considerado uma das 7 das Maravilhas Naturais de Portugal, corresponde a uma das mais importantes zonas húmidas do país, permitindo o encontro com uma grande diversidade de habitats propícios ao desenvolvimento de uma fauna e flora igualmente diversos, com uma envolvente integrada na parte do Sotavento Algarvio compreendida entre a zona do Ancão e da Manta Rota, constituído por um sistema lagunar de forma harmoniosa com ligação entre a terra e o oceano. Para melhor conhecer a entrada da Ria Formosa, entre a Quinta do Lago e a Ilha de Faro, podemos percorrer o Ludo Trail, um trilho de 7 quilómetros onde temos contacto com as lagoas, os sapais e a vida animal no seu habitat natural. Aproveitando o passadiço que atravessa a Ria Formosa, chegamos à Ilha de Faro, uma das praias do Parque Natural e a primeira das ilhas-barreira que separam a ria do oceano. A Ilha da Armona e a Ilha da Culatra são também locais de destaque para a observação de aves. Aqui existem aldeias com pequenas comunidades de habitantes locais, que se evidenciam pelas suas tradições pesqueiras, pelas praias de areal claro, águas límpidas, pela oferta de infraestruturas balneares e de restauração. Junto à Ilha da Culatra existe uma pequena localidade com o nome de Hangares, que ganhou o seu nome devido à existência de infraestruturas deixadas do tempo da 2ª guerra mundial. Das ilhas-barreira, a Ilha do Farol é outra das riquezas naturais de Faro, devendo o seu nome ao Farol do Cabo de Santa Maria visível desde longas milhas, e apresentando-se como um local de grande beleza natural. Merecem menção as pequenas Ilha do Coco, Ilha das Alturas e ilhéu do Alcorão, onde podemos ver durante todo o ano os mariscadores na apanha de bivalves, a atividade primordial de muitos dos habitantes de Olhão e das ilhas da Culatra, Armona, Farol e Hangares. Percorrendo a região povoada da Ria Formosa podemos avistar pequenas embarcações que servem a população local, permitindo a prática pesqueira na ria.

Olhão

Olhão é uma cidade nascida de uma vila piscatória, situada frente à Ria Formosa, constitui um interessante centro urbano, social e turístico do Algarve. Conhecida como “cidade cubista”, esta destaca-se por apresentar uma arquitetura de origem árabe única em Portugal, com os cubos das suas casas caiadas, de rebordo azul ou cinzento. Entre os espaços marcantes da cidade destacamos os Mercados de Olhão, edifícios rubros de arquitetura industrial do século XX, localizados na zona ribeirinha, onde a venda tradicional de produtos permite o encontro com alguns dos traços da cultura local. A alguns metros para o centro da cidade encontramos o Museu Municipal de Olhão, onde podemos visitar um acervo de pendor arqueológico e regional, localizado diretamente atrás da capela da Nossa Senhora da Soledade. No coração de Olhão, a Igreja Matriz de Nossa Senhora do Rosário do século XVIII é um destaque imponente, com a particularidade histórica dos seus sinos terem acompanhado a revolta do povo contra os avanços da invasão francesa. Atrás desta igreja encontramos a Capela de Nosso Senhor dos Aflitos, um local de culto historicamente procurado pelas mulheres em dias de tempestade, quando os homens saíam para o mar.
Na frente ribeirinha de Olhão encontramos espaços verdes, entre os quais o Jardim Pescador Olhanense, no qual se destacam alguns bancos com padrões de azulejo de motivos náuticos. Na mesma região, em frente aos Mercados de Olhão, encontra-se o Caíque Bom Sucesso, uma réplica da embarcação que os olhanenses terão utilizado para navegar até ao Brasil, com a finalidade de contar ao rei o que se passara na revolta que expulsara Napoleão do território português. Ainda na zona ribeirinha, encontramos o Cais de embarque de Olhão, local onde podemos embarcar para conhecer algumas das ilhas-barreira da Ria Formosa, incluindo a Ilha de Armona, a Ilha da Culatra e a Ilha do Farol.

Tavira

Tavira é uma cidade costeira do sotavento Algarvio, com uma paisagem marcada pelo Rio Gilão ao atravessar a cidade e desaguar no Parque Natural da Ria Formosa. Tavira é especialmente conhecida pelo seu património religioso, que a torna conhecida como a “Cidade das Igrejas”, ainda que os patrimónios naturais e arqueológicos mereçam igualmente destaque. Em Tavira temos a oportunidade de visitar o antigo castelo de Tavira, cuja construção original data do século XIII, apreciando as vistas panorâmicas sobre a cidade e o oceano que temos desde as torres. A cultura local está muito marcada pela atividade piscatória e pela religiosidade, com a existência de um vasto número de igrejas. O Mercado Municipal de Tavira situado na margem oeste, frente à saída da Ponte dos Descobrimentos, frente às salinas, no caminho para o cais das Quatro Águas. Entre os espaços de culto, vale a pena visitar a Igreja de Santa Maria do Castelo, datada do século XIII e com elementos góticos na qual se destaca a original torre do relógio, a presença de azulejaria nacional, os pormenores de talha e o túmulo dos sete cavaleiros da Ordem de Sant’Iago. Destacamos igualmente a barroca Igreja Nossa Senhora do Carmo do século XVIII, com a magnífica cúpula pintada, onde se representa a santa que a nomeia; a Igreja da Misericórdia do século XVI, considerada a mais importante igreja renascentista da região; a Igreja do Antigo Convento de Santo António dos Capuchos, ornamentada com azulejos e pormenores talha dourada; e também a Igreja e Convento Nossa Senhora do Carmo, datada do século XVIII, integra elementos diversos de estéticas distintas, com destaque para o órgão, o tesouro sacro barroco, e os vários elementos joaninos e rococó.

Além do elevado valor da religiosidade, a passagem de povos como os árabes, os romanos e os fenícios pela região também marcou Tavira. Nesta cidade podemos encontrar as Ruínas Fenícias de Tavira, com uma muralha datada do século VIII a.C. e a Ponte Romana de Tavira, uma ponte pedonal que se acredita ter sido reconstruída sobre uma ponte romana datada do século III, com ligação entre as margens do rio Gilão, no centro histórico de Tavira. Sobre o Rio Gilão (que só aqui toma essa nomenclatura, já que, da nascente e até à ponte, é designado como Rio Séqua) passa igualmente a Ponte Ferroviária de Santa Maria, ponte de uso ferroviário e que integra a Linha do Algarve. O Núcleo Museológico da Pesca do Atum, cujo acervo conta a história piscatória da região na captura do atum encontra-se atualmente no interior do hotel Vila Galé Albacora. Próximo deste núcleo, encontramos a praia do Arraial Tavira, de águas calmas e mornas e fronteiriça face à Ilha de Tavira, uma ilha que se estende ao longo de 12 km para oeste até à Fuseta. Para acedermos à ilha de Tavira podemos apanhar o “barco da carreira” no cais de embarque de Quatro Águas. No local onde a ria se junta ao oceano, temos ainda a possibilidade de ver o Moinho dos Ilhéus, um moinho de maré onde atualmente existe um viveiro das mais aclamadas ostras portuguesas. Destacamos também as Salinas de Tavira, onde encontramos a Ciclovia das Salinas e vários trilhos adequados para passeios pedonais pelo complexo, local onde temos a possibilidade de observar paisagens idílicas e observar inúmeras espécies de aves residentes e migratórias, incluindo bandos de flamingos.

O Golf é uma das atividades que podemos praticar na região de Tavira, com vários empreendimentos de luxo e amplos campos de golf. Nas proximidades de Cabanas de Tavira, o Benamor Golf é campo com percursos envoltos por uma paisagem de oceano e serra, permitindo a prática de golfe num ambiente sereno e natural. Na Quinta da Ria localizado entre Cabanas de Tavira e Vila Nova de Cacela encontramos mais dois campos de golf, o Quinta de Cima Golf, um “championship course” desafiante, com fairways longos e vários obstáculos de água, ponteado de árvores; e o Quinta da Ria Golf, campo de 18 buracos, integrado no Parque Natural da Ria Formosa e com uma bonita envolvente natural. Outra das opções, e também uma das mais aclamadas na região, é o Monte Rei Golf, situado a norte de Vila Nova de Cancela, consiste num dos poucos percursos Jack Nicklaus Signature da Europa, considerado o melhor campo de golfe português. Podemos também aproveitar o natural e desafiante percurso da Quinta do Vale Golf e o empreendimento do Castro Marim Golf, que se destaca pelos três campos de nove buracos, as suas vistas magníficas. O Colina Verde Golf, situado a norte da Fuseta está integrado num ambiente campestre natural, com um campo de golf de 9 buracos, indicado os iniciantes na prática do golfe.

Património natural de Tavira

Na região de Tavira e seus arredores encontramos inúmeros espaços de interesse natural, sendo que, entre estes, algumas praias merecem ser referidas. A praia da Terra Estreita é uma bonita língua arenosa, localizada a nascente da praia do Barril, o local onde uma antiga comunidade pesqueira deixou um verdadeiro cemitério de âncoras provenientes das antigas embarcações da pesca do atum. Na localidade, a prática de naturismo é possível na zona de Santa Luzia, onde encontramos a praia do Homem Nu, uma praia bastante selvagem e desértica, que nos convida ao contacto pele-com-natureza. Nas proximidades, a praia da Barra da Fuseta oferece a maior tranquilidade e, ligando-se a esta, no extremo leste da Ilha da Armona encontramos a praia da Ilha da Fuseta, fronteiriça à vila piscatória homónima. Subindo a Serra de Monte Figo encontramos dois locais propícios para observarmos as melhores paisagens da região: o Cerro de S. Miguel (ou simplesmente Monte Figo), com um miradouro que abarca muito da costa sul-algarvia, e o Cerro de Cabeça, na zona oriental da serra, onde encontramos formações cársicas de grande valor geológico. Outra paisagem incrível que podemos encontrar é na Barragem de Odeleite, uma vez que a albufeira desta barragem toma a forma de um dragão azul, um símbolo de sorte e poder da cultura chinesa, que confere à região o nome de “Rio do Dragão Azul“. Por fim, temos a oportunidade de conhecer outros pontos de valor natural na localidade visitando a Mata da Conceição, no Perímetro Florestal da Conceição de Tavira, onde encontramos um parque de merendas e podemos observar aves residentes e migratórias na harmoniosa e natural Cascata do Pego do Inferno, considerada uma das cascatas mais bonitas da região algarvia.

Cacela Velha & Cabanas de Tavira

Saindo de Tavira pela orla sul na direção de Espanha, encontramos a Cancela Velha, uma antiga aldeia, com habitações caiadas, rica em tradicionalidade e pacatez. Aqui somos convidados a conhecer locais emblemáticos, como o Forte de Cacela Velha (ou Fortaleza de Cancela), com a sua posição sobranceira e de envolvente natural; a Igreja Matriz de Cacela Velha do século XVI e a praia de Cacela Velha, situada a sul da localidade. A praia da Fábrica, situada no pequeno povoado com o mesmo nome, é ponto de passagem obrigatória, caraterizando-se por se encontrar no meio do oceano e pelo acesso, feito mediante a compra de bilhete de ida e volta durante a época balnear, em pequenas embarcações locais. Em Cabanas de Tavira, onde encontramos a praia do Lacém Mar, uma praia de ria, situada numa estreita língua de areia de caraterística natural, para além da qual fica a Ilha de Cabanas, um lugar que convida à observação de aves limícolas. Na região, vale a pena percorrer a Avenida Ria Formosa, que nos leva na direção do Forte de São João da Barra, situado numa colina junto à Ria Formosa, a leste de Cabanas de Tavira. Destacamos também outros locais de interesse que podemos visitar, como o Forte do Rato (ou Forte de Santo António de Tavira), localizado na foz do rio Gilão, e ainda a praia de Cabanas e a praia do Forte da Barra, que se evidenciam pela grande beleza natural, integradas no Parque Natural da Ria Formosa.

Castro Marim

A Reserva Natural do Sapal de Castro Marim e Vila Real de Santo António, criada em 1975, corresponde à primeira reserva natural portuguesa e a uma das zonas húmidas mais importantes de Portugal. Tem como propósito a conservação dos ecossistemas locais e do património natural e paisagístico, situada junto à foz do Guadiana, estendendo-se entre Castro Marim e Vila Real de Santo António. Neste espaço, a reserva é composta por sapais, salinas e esteiros, onde paisagens distintas abrigam uma grande diversidade de fauna e flora, tratando-se ainda de um local propício para a observação se aves. Na sua orla, a localidade de Castro Marim oferece também alguns pontos de interesse patrimonial, dos quais destacamos o Castelo de Castro Marim representa uma fortificação de grande interesse histórico, localizado em posição sobranceira na margem direita do Rio Guadiana. O Forte de São Sebastião foi aqui construído durante as Guerras da Restauração para a defesa da região, devido à grande importância estratégica da elevação natural do terreno, no local onde anteriormente se encontrava a ermida com o mesmo nome. Também em Castro Marim, podemos conhecer a Estátua do Cavaleiro Medieval, uma interessante estrutura de ferro localizada nas proximidades da Igreja de Santiago.

Vila Real de Santo António

Vila Real de Santo António é uma cidade raiana projetada por Marques de Pombal. Ao longo de uma extensa avenida litoral com edifícios históricos frente ao rio Guadiana, encontramos a marina de Vila Real de Santo António. No centro da cidade encontramos as ruas com comércio e a Praça Marquês de Pombal, sendo o centro da cidade com um cariz comercial e turístico, de arquitetura pombalina. Na praça, encontramos a Igreja Matriz, um obelisco coroado em honra D. José I e quatro torreões que ornamentam os seus quatro cantos. Além do património edificado, a localidade conta com espaços naturais emblemáticos, como a Mata Nacional das Dunas de Vila Real de Santo António, e leva-nos a conhecer algumas das praias mais turísticas do país. Aqui encontramos também o Farol Vila Real de Santo António, com a sua torre circular visitável e que continua a funcionar na atualidade. Daqui, percorrendo a margem do Rio Guadiana, somos ainda convidados a conhecer locais de grande interesse cultural, como o Arquivo Histórico Municipal António Rosa Mendes, onde encontramos um acervo de documentos históricos sobre a região; o tradicional Mercado Municipal e o emblemático Centro Cultural António Aleixo, que recebe inúmeros espetáculos da região. Por fim, a poucos minutos de distância, encontramos o parque de arborismo Adventure Park Vila Real de Santo António, ideal para atividades radicais em contacto com a natureza.

Ao avançarmos para Oeste, na direção do por do sol, encontramos Monte Gordo, Altura e Vila Nova de Cancela, três aclamados municípios do sul português, que se destacam pelas praias e integração de elementos de interesse cultural e praias familiares, turísticas de águas cálidas e areal branco, acessíveis e equipadas com todas as infraestruturas essenciais ao lazer, incluindo bares e restaurantes. Em Monte Gordo encontramos também o Casino de Monte Gordo com várias salas de jogos e agenda com diversos espetáculos. Além da praia de Monte Gordo, podemos optar pela natural praia Verde, uma praia marítima que se situa no abrigo de pinheiros mansos, em pleno coração do Sotavento algarvio. Se avançarmos na direção oeste, encontramos a praia da Alagoa em Altura, a praia da Lota e a praia da Manta Rota, que se estende até à península de Cacela.

Albufeira (fronteira do barlavento algarvio)

A cidade de Albufeira é uma localidade do litoral algarvio, que nasceu de uma antiga vila piscatória, comportando ainda muito do seu antigo património e cultura. Albufeira tem uma caraterística turística forte, oferecido pela riqueza do património compreendido no seu centro histórico, pelos inúmeros bares que garantem a animação noturna (incluindo a zona de Old Town e de The Strip Albufeira), pelos espaços de interesse cultural, nomeadamente as exposições da Galeria Municipal de Albufeira, o eclético Museu de Arte Sacra de Albufeira ou ainda o tradicional Mercado Municipal dos Caliços. O perpetuar da religiosidade em locais como a Igreja de Sant’Ana do século XVIII; a Igreja de São Sebastião, erigida no século XIII na Praça Miguel Bombarda, que comporta traços típicos da região e elementos de estética manuelina e barroca; e o Convento de Nossa Senhora da Orada, de arquitetura tipicamente algarvia, que apesar de datar do século XVI, foi totalmente reformulada no século XVIII. O grande interesse histórico e cultural de Albufeira convive com os costumes locais e a beleza natural, como podemos ver na Marina de Albufeira e no Miradouro Porto de Pesca, locais onde a tradição pesqueira da região se perpetua, de onde podemos vislumbrar a beleza costeira da costa litoral. Ao longo da costa, podemos percorrer o caminho litoral que nos leva desde o Miradouro do Peneco à Igreja de São Sebastião, passando sobre a turística praia do Peneco, junto à qual as ruas da Bateria e Almirante Gago Coutinho permitem vislumbrara paisagem litoral. Tradicional, a praia dos Pescadores é uma das mais conhecidas da cidade, pela sua areia clara e a parca ondulação marinha. Aqui perto na praça junto à praia encontramos o Monumento aos Pescadores e no topo da falésia acedemos ao Miradouro do Pau da Bandeira, de onde podemos ter vistas panorâmicas sobre a localidade e o mar. À medida que avançamos na direção de Leste, encontramos praias menos urbanas e mais naturais, como a praia dos Alemães, o Leixão dos Alhos ou a praia dos Aveiros, situadas no abrigo das arribas litorais. Mais emblemáticas, a praia da Oura e a praia Santa Eulália oferecem cenários naturais, com envolventes ponteadas de verde, areal dourado e mar propício à prática de desportos marítimos. A Leste, junto à praia da Balaia, podemos praticar outro tipo de desportos, usufruindo do percurso de golfe de nove buracos do Balaia Golf Course, indicados para jogadores de todos os níveis. Aqui perto o Parque Aventura merece ainda destaque, sendo um local dedicado à prática de arborismo muito apreciado por crianças e adultos.

Galé e praias da Galé

A Galé é uma freguesia litoral da Guia, situada a oeste da cidade de Albufeira, conhecida pela riqueza natural das suas praias e falésias, integrando ainda um complexo turístico com todas as infraestruturas essenciais. As praias da Galé sucedem-se na linha costeira desde a praia da Galé (Oeste) e até à praia de Arrifes, apresentando globalmente caraterísticas como a beleza natural, o areal dourado, as arribas escarpadas, os afloramentos rochosos e ainda o facto de serem um destino de ancoragem e passeio de yachts à vela e a motor. Estas praias encontram-se ligadas por um trilho junto à falésia, que permite o encontro com a plenitude da sua beleza natural. Percorrendo o trilho da Galé na direção Oeste/Leste, encontramos a praia de São Lourenço, a praia de Manuel Lourenço, a praia da Balbina, a praia do Evaristo, a praia do Castelo, a praia da Coelha, a praia de Maré das Porcas, a praia das Salamitras, a praia da Ponta Grande e Pequena, a praia dos Piratas e a praia de São Rafael. Estas praias pequenas com caraterísticas bastante similares, protegidas do vento pelas rochas, com águas transparentes, muito procuradas por quem deseja momentos de maior tranquilidade devido a estarem afastadas da zona urbana.

Vila e praia de Olhos d’Água

Olhos d’Água é uma vila de Albufeira, de toque pitoresco e tradicional cujas praias marcam a fronteira entre Sotavento algarvio (de caraterística mais arenosa) e o Barlavento (de caraterística rochosa). Uma das bonitas praias a que podemos aceder a partir de Olhos d’Água é a praia Maria Luísa, que se destaca pelas tonalidades das suas arribas, que contrastam com o azul marinho e onde podemos usufruir de várias infraestruturas de apoio e praticar vela ou windsurf. O nome desta localidade provém das nascentes de água doce no areal (olhos d´água) ali existentes, que podemos vislumbrar durante a baixa mar, conhecidos também como Olheiros de Água Doce, situados entre a praia de Olhos d’Água e a praia do Barranco das Belharucas (uma praia entre a longa arriba e o oceano) que se localiza no extremo ocidental da praia da Falésia, uma praia conhecida pelos de 5 quilómetros de areal, que se estende até Vilamoura, percorrida durante todo o ano pelos amantes de caminhadas. Perto desta praia, o Miradouro da Falésia é um local que nos convida a parar para contemplar a beleza natural da região. Desde a praia do Barranco das Belharucas temos acesso ao Pine Cliffs Golf e Resort, um empreendimento turístico de luxo onde podemos usufruir de um hotel, de serviços de SPA e do campo de golfe de 9 buracos, especialmente conhecido pelo desafiante sexto buraco Par 3. No caminho da falésia, a aldeia de Açoteias é outro tesouro de Albufeira, onde podemos aproveitar a beleza natural da falésia e a pacatez da praia das Açoteias. Ao longo do trilho que une Olhos d’Água e Vilamoura, por praia e por caminhos no topo da falésia, podemos encontrar mais duas praias que merecem destaque, a praia dos Tomates, com a sua arriba argilosa e rubra, e a praia da Rocha Baixinha, onde a arriba começa a desaparecer para dar lugar às dunas arenosas.

Paderne

Paderne é uma aldeia rural pertencente ao concelho de Albufeira, na qual encontramos elementos patrimoniais de elevado valor. Entre estes, salientamos a Igreja Matriz de Paderne ou Igreja da Senhora da Esperança, do século XVI, remodelada ao longo dos séculos, integra elementos arquitetónicos de estilo manuelino e renascentista, sendo os elementos visuais que mais se evidenciam são o estilo barroco dos retábulos da capela-mor e da Capela do Santíssimo. Em Paderne podemos visitar a Ponte Medieval, situada sobre a ribeira de Quarteira nas proximidades do castelo, reedificada no século XVIII. Por fim, destacamos também as ruínas do Castelo de Paderne, cuja primeira referência data do século XII, e que se encontra numa posição sobranceira face à ribeira de Quarteira, representando um dos castelos que figuram na bandeira nacional, tratando-se de uma pequena fortificação de origem muçulmana que integrava a linha defensiva da região. Estas atrações são muito procuradas por amantes de caminhadas na natureza.

Parques temáticos e aquáticos

A região do Algarve é convidativa para quem procura equipamentos temáticos, de pendor natural e aquático. Um dos maiores parques temáticos da região algarvia é o Zoomarine Algarve, um local onde podemos contemplar inúmeras espécies marinhas, aves exóticas e répteis, interagir com os golfinhos, assistir a espetáculos e usufruir de piscinas, escorregas e algumas atrações caraterísticas de parques de diversões. Entre Quarteira e Loulé, encontramos o Aquashow Park, conhecido pela sua piscina de ondas, onde podemos aproveitar atrações que incluem uma montanha-russa, pistas brandas, vários escorregas e piscinas adequadas a todas as idades. Similar, o Aqualand Algarve em Alcantarilha oferece atividades que misturam a adrenalina, o lazer e o relaxamento, adotando um pendor familiar num ambiente onde a água é predominante. Por fim, o famoso Slide & Splash situado entre Lagoa e Portimão oferece divertimentos aquáticos diversificados, assim como espetáculos e serviços de SPA, num ambiente com espaços temáticos, adaptados a todas as idades e gostos pessoais.

Portimão

Portimão é uma cidade de tradição pesqueira, situada no Estuário do rio Arade, conhecida pelas praias, pelos costumes, pelo património religioso e pela preservação da cultura local. Ao visitarmos a cidade de Portimão encontramos traços evidentes da sua alma piscatória, em espaços como a Marina de Portimão, o Porto Comercial e o Clube Naval, sendo que uma caminhada junto ao rio pelo Passeio Ribeirinho nos permite aproveitar os serviços de restauração tradicionais, provando os sabores de mar da região. O Mercado Municipal de Portimão é outro dos locais onde somos convidados a conhecer um pouco melhor esta tradição, com a venda de produtos regionais, entre os quais se inclui igualmente o pescado. Uma visita ao Museu de Portimão, localizado no edifício da antiga fábrica de conservas, e ainda identificado desta forma na sua fachada, leva-nos a conhecer melhor a identidade pesqueira e industrial da cidade, com um espólio que foca a identidade regional. Daqui, avançamos até ao centro da cidade na Praça da República, onde encontraremos o jardim com o mesmo nome, a jesuíta Igreja do Colégio (ou de São Francisco Xavier), que cumpriu já o papel de tribunal da cidade, e a quinhentista Igreja Matriz de Portimão (ou Igreja de Nossa Senhora da Conceição), no interior da qual se destaca o altar barroco com pormenores de talha dourada. Ainda que mais distante, junto aos estaleiros navais, na zona ribeirinha, a Capela de São José merece também menção, não só pela fachada simples e apelativa, mas pela história que remete para o culto das gentes que trabalhavam no mar.

A passagem dos povos antigos por esta região é algo que também somos convidados a conhecer em Portimão, no Centro de Acolhimento e Interpretação dos Monumentos Megalíticos de Alcalar ou com uma visita às Ruínas do Convento de São Francisco de Portimão. E, uma vez que o lazer é uma parte importante da essência da cidade, vale a pena olhar a programação do Parque de Feiras e Exposições de Portimão e do Portimão Arena. Além destes locais, integrado numa envolvente natural, o Autódromo Internacional do Algarve é uma grande atração portimonense procurada pelas emoções dos campeonatos de Fórmula 1 e moto GP, desportos que, a par com o golfe, destacam a localidade de Portimão no mapa mundial. Aqui, a prática de golfe é incentivada pela existência de campos de renome internacional, incluindo os três campos do Penina Golf; os campos polivalentes do Morgado Golf, adaptados a todos os níveis de golfista; e o Alamos Golf, cujo percurso é curto, mas desafiante. Percorrendo a Avenida Tomás Cabreira, somos ainda convidados a visitar o litoral de Portimão frente ao mar e à praia da Rocha, a praia mais emblemática de Portimão, considerada entre as praias mais bonitas de Portugal, com um areal extenso, protegido pelas arribas e onde encontramos clubes dedicados aos desportos náuticos, como o surf ou a vela de recreio. Percorrendo o Molhe de Portimão, somos convidados a caminhar até ao listrado Farol da praia da Rocha, no extremo onde este se encontra com o oceano. Já no começo do molhe, a Fortaleza de Santa Catarina é o local a visitar, tratando-se de um monumento militar do século XVI que servia para a defesa costeira. No lado oposto da praia, desde o Miradouro dos Três Castelos podemos observar a mesma costa de uma perfectiva diferente, com vista privilegiada sobre a praia da Rocha, e a praia dos Três Castelos, sendo que esta linha de praias se estende, levando-nos até várias praias de areal claro, com estruturas rochosas e envolvidas por falésias, incluindo a praia do Amado, a praia dos Careanos, a praia do Vau, a praia do Alemão, a praia do Boião e a secreta e menos povoada praia João de Arens, cujo acesso pode ser algo desafiante, mas onde podemos encontrar uma vista deslumbrante de rocha e mar. Desde Portimão podemos caminhar pela falésia até a Ponta João de Arens vislumbrar a Gruta das Baratas sobre uma plataforma que nos permite caminhar sobre o vazio de uma formação em formato de fosso (algar), criada pela penetração da água da chuva na falésia de pedra calcária. Continuando a caminhar na direção do Alvor, encontramos a pequena praia de águas calmas do Submarino, a romântica praia da Prainha com pequenos areais isolados por estruturas rochosas, que criam uma envolvente mais privada ao abrigo das arribas; e a praia da Torralta, conhecida pelas águas mornas e límpidas. Já nas proximidades da vila piscatória do Alvor, destacamos a riqueza do seu património religioso, as zonas húmidas do estuário da ria do Alvor, o Alto Golf, um campo de golfe com um percurso de 18 buracos, integrado no Vau da Rocha numa envolvente verdejante, ponteada de árvores e lagos. No Alvor recomendamos conhecer a ampla e turística praia de Alvor e visitar a Ria de Alvor, um sistema estuarino no qual se cria uma importante zona húmida nacional, onde a biodiversidade pode ser observada pela existência de aves residentes e migratórias, num ambiente típico piscatório.

Ferragudo

Ferragudo é uma vila do lado leste do rio Arade, é uma das freguesias da localidade algarvia de Lagoa com a qual nos cruzamos quando rumamos desde Portimão até ao Carvoeiro, sendo uma rota na qual encontramos inúmeros locais de interesse patrimonial e natural. Começamos por atravessar a Ponte Ferroviária de Portimão sobe o rio Arade, que se distingue pelos seus arcos férreos, e encontramos o porto de pesca e os Estaleiros de Portimão. O Parque Municipal do Sítio das Fontes, situado na sua margem, apresenta-nos um pequeno parque de grande riqueza natural, histórica e cultural, integrando vários ambientes mediterrânicos, uma enorme biodiversidade e vestígios das atividades medievais da região. Rumando a Ferragudo passeando pela Rua Infante Santo, vamos de encontro à Igreja de Nossa Senhora da Conceição, com a uma fachada branca e amarela, dentro da qual abriga um conjunto de imagens quinhentistas, setecentistas e oitocentistas. Perto deste local, a praia Grande e a praia da Angrinha representam as praias do estuário do Rio Arade, com um areal envolto por arribas e vegetação. Tendo servido para a defesa deste rio, encontramos aqui o quinhentista Castelo de São João do Arade. A praia do Molhe demarca o lugar onde o rio dá lugar ao oceano, e a vizinha praia do Pintadinho. Seguindo, encontramos o Farol da Ponta do Altar situado a 32 metros de altitude, construído em 1893, do qual podemos observar a paisagem litoral costeira e a cidade de Portimão com destaque para a praia do Torrado e a praia dos Caneiros. A praia da Afurada, próxima ao Centro Hípico Casa Lusitana, merece também menção, contendo uma gruta e constituindo uma praia pacata, de pendor quase privado. Daqui, avançamos até à praia do Mato, passando pela Torre da Lapa, uma antiga torre de vigia do século XVI classificada monumento de interesse público perto da praia da Grilheria, uma praia rochosa de difícil acesso e envolvida por falésias. A caminho do Miradouro da Arriba da Salgadeira, passamos pela praia do Vale da Lapa e a praia da Cama da Vaca, que nos levam até à mais aclamada praia dos Três Castelos de Carvoeiro, às formações rochosas da praia de Vale dos Currais e à pequena e virgem praia do Paraíso, estando estas últimas já integradas no leque de praias do Carvoeiro.

Lagoa

Lagoa é uma cidade algarvia que comporta património pré-histórico e uma tradição agrícola marcada pela produção de vinho, onde se denota uma forte tradicionalidade religiosa. As atividades balneares e as atividades desportivas conferiram à região um pendor mais turístico, sendo que os três campos de golfe locais – o Vale da Pinta Golf, o Gramacho Golf e o Vale de Milho Golf – se destacam pela ambiência natural e as estruturas destacadas a nível europeu. Além do golfe, o Sand City, e o seu Festival Internacional de Esculturas em Areia são também um dos ex-libris da localidade, apresentando-se estes respetivamente como o maior festival de esculturas de areia em todo o mundo. Da modernidade do festival à antiguidade das tradições, Lagoa convida-nos a conhecer o património religioso, no Convento de São José, um antigo convento de reclusão, construído no século XVIII do qual se destaca o claustro e o seu poço cisterna e a roda dos expostos, situada na entrada; e na Igreja Matriz de Porches (ou Igreja de Nossa Senhora da Encarnação), datada do século XVI, de fachada simples, mas interior enriquecido pelos azulejos e imagens oitocentistas que o ornamentam. Anexa a esta Igreja, encontramos a Capela dos Ossos de Alcantarilha, cuja ornamentação é feita com mais de 1500 ossadas humanas.

Carvoeiro

O Carvoeiro é uma vila do Barlavento algarvio, conhecida pelas suas praias e cuja prática pesqueira e marítima marcou a cultura e tradição ainda hoje visível. O Largo da praia do Carvoeiro é o centro da vila onde encontramos um passeio amplo, rodeado por restaurantes típicos e pequenos espaços comerciais, junto da praia do Carvoeiro, onde temos uma envolvente de falésias amareladas com vegetação e vistas sobre as fachadas brancas das casas algarvias. Este local está localizado a poucos minutos da praia do Paraíso, uma praia pequena à qual podemos aceder percorrendo a estrada com o mesmo nome, que se estende pela arriba a poente. Na direção oposta e também a alguns minutos, encontramos o Forte de Nossa Senhora da Encarnação do seculo XVII, que serviu para proteger a região dos ataques de corsários e piratas, e junto à qual somos convidados a caminhar sobre o passadiço do Carvoeiro para apreciarmos as vistas oceânicas a partir do Miradouro da Falésia do Carvoeiro e visitarmos o Algar Seco, um lugar conhecido pelas suas grutas rochosas, que podemos visitar a pé, de barco ou até mesmo de caiaque ou em pranchas de Stand-Up Paddle. Aqui, o Olhos da Boneca é o algar mais conhecido e um dos mais apreciados, devido às suas “janelas naturais” para o oceano.

A Costa litoral do Carvoeiro é uma zona que se destaca pela beleza paisagística, contando com inúmeras praias localizadas junto a falésias e que contam com formações rochosas de grande interesse e beleza natural evidente, que as torna atrações para passeios de barco na região. Difícil de aceder e pequena em dimensão, a praia de Vale Covo é a primeira que listamos, seguindo-se a praia do Vale de Centeanes, um espaço balnear abrigado pelas escarpas envolventes, numa pequena enseada, onde as formações rochosas criam grutas de grande interesse visual e que constitui o ponto de partida para o Percurso dos Sete Vales Suspensos, considerado um dos melhores trilhos de Portugal e da Europa devido à sua posição emocionante sobe a falésia com arribas sobre o mar. Este trilho, com aproximadamente 6 quilómetros, leva-nos numa caminhada sobre a arriba desde a praia Vale de Centeanes até à praia da Marinha, permitindo-nos o contacto com paisagens formadas por praias recolhidas, um oceano de águas claras, arribas coloridas e interessantes formações rochosas (incluindo grutas e algares), num cenário único e natural.

De caminho à pequena e protegida praia do Vale Espinhaço, encontramos o Farol de Alfanzina, um farol centenário, localizado num promontório rochoso que serve de apoio à navegação local. A praia do Carvalho situada no caminho para Benagil, um local de tradição piscatória onde destacamos o Algar de Benagil, uma das grutas do seu tipo mais famosas no mundo e um dos locais mais fotografados de Portugal, destacado pela sua estrutura com aberturas para o mar e para o céu, que podemos aceder por via marítima em pequenas embarcações ou pranchas a remos. As estruturas rochosas sucedem-se ao longo da orla costeira, levando-nos aos arcos naturais na falésia de rocha calcária e a outras praias nas quais estes criam um cenário único, como exemplifica a praia da Corredoura ou a praia da Marinha conhecida pela fotografia que combina duas rochas abertas formando uma figura de coração. A praia da Marinha constitui, na verdade, outro dos destaques da região, apresentando-se como uma praia de areal branco e mar tranquilo, classificada como uma das cem melhores praias do mundo, que oferece um cenário natural ainda bastante selvagem, rodeada por uma falésia esculpida e acessível a partir de uma longa escadaria. Além desta praia, a beleza natural das praias e formações rochosas da orla costeira do Carvoeiro continua até Armação de Pêra, sendo que, pelo caminho, destacamos a praia do Pau, a praia da Malhada do Baraço, a praia do Barranquinho e a praia da Estaquinha. Junto destas, locais como o Algar dos Capitães, o Algar da Albandeira e o Arco de Albandeira merecem destaque por se tratarem de incríveis formações naturais rochosas. Antes da chegada a Armação de Pêra, salientamos a praia de Albandeira, a praia das Fontainhas e a praia do Pontal, situadas em pequenas enseadas que nos oferecem um cenário natural de grande beleza.

Armação de Pêra

Armação de Pêra é uma freguesia de Silves, conhecida especialmente pelas suas caraterísticas naturais e as suas praias. Aqui, podemos conhecer Forte de Santo António da Pedra da Galé (ou Fortaleza de Armação de Pêra) do século XVI, antes de avançarmos para os valiosos espaços naturais da localidade. A biodiversidade da flora e fauna locais podem ser observadas na zona húmida da Lagoa dos Salgados, local com ligação à praia dos Salgados indicado para a observação de aves culminando no empreendimento turístico da Herdade homónima onde opera o aldeamento turístico dos Salgados e o hotel Nau Salgados, local onde encontramos o campo de golfe Salgados Golf. A praia dos Salgados tem ligação pelo areal numa extensão aproximada de 4 km até à praia Grande de Pêra, uma praia mais tranquila, de areal claro que serve de abrigo a várias espécies protegidas de aves. Mais urbana e povoada, a praia de Armação de Pêra é uma das mais movimentada por estar frente ao perímetro urbano, assim como a praia dos Pescadores que merece destaque pela presença de artefactos piscatórios, incluindo embarcações e redes arrumadas sobre as areias, recordando o tipicismo desta prática na região Durante a prática da pesca, é possível observarmos uma cena espetacular nos dias atuais: os pescadores a transportarem as embarcações de pesca pelo areal até ao mar, com o auxilio de tratores. Nesta linha costeira de espaços balneares, a praia do Vale do Olival, a praia dos Tremoços e a praia dos Beijinhos destacam-se também pela envolvente escarpada e natural, caraterística que se estende ainda à praia da Cova Redonda, à praia dos Cavalos, à praia das Escaleiras e à praia da Senhora da Rocha. Nesta última, encontramos o porto de pesca homónimo e a Igreja de Nossa Senhora da Rocha que remonta ao século XV ou XVI, sobranceira à praia, construída sobre o rochedo. No interior desta igreja costeira encontramos uma valiosa imagem quinhentista de Virgem com Jesus. Continuando o caminho para Oeste, encontramos a praia Nova e a praia do Barranco, que nos ligam depois, às praias do Carvoeiro.

Silves

Silves é uma cidade situada na serra Algarvia conhecida pela sua tradicionalidade, a envolvente natural, a praia e o património edificado. Silves foi em épocas passadas a capital do al-Gharb al-Andalus (Algarve). Entre os seus monumentos, destacamos o Castelo de Silves, um exemplar defensivo de origem árabe que ocupa uma posição sobranceira à cidade, destacando-se pelos torreões quadrangulares e ameados. A cerca de 600 metros, encontramos o Mercado Municipal de Silves, localizado junto ao Rio Arade e cuja arquitetura, conhecida como arquitetura do “Estado Novo” ou “Português Suave”, se reflete no seu telhado e na esfera armilar localizada junto ao brasão de armas da cidade. Entre o património religioso, merecem destaque a Sé Catedral de Silves (catedral erigida sobre uma antiga mesquita) e a Igreja da Misericórdia de Silves do século XVI, localizada a alguns passos de distância. O Museu Municipal de Arqueologia de Silves encontra-se também nas proximidades das igrejas, sendo o local ideal para conhecer um acervo que remete para a antiguidade da região e os povos que aqui habitaram. Em Silves encontramos os campos de golf Silves Golf, o Amendoeira Faldo Golf e o Amendoeira O’Connor Junior Golf, não fosse o golf uma das modalidades mais aclamadas do Algarve, estes percursos são visitados por golfistas de todo o mundo. A oeste da cidade de Silves, a Cruz de Portugal datada do princípio do milénio é outro local a visitar, uma cruz de calcário esculpido que exibe traços manuelinos e gótico-floridos. Perto de Silves, a beleza natural da albufeira da barragem do Funcho e da albufeira da barragem do Arade permite o encontro com bacias de água, numa envolvente verdejante e idílica.

Monchique

Monchique é uma pitoresca vila da serra algarvia, especialmente conhecida pelas suas águas termais às quais se atribuem poderes curativos, pelos seus monumentos e pelos espaços naturais de elevado valor. Na localidade, a Igreja Matriz de Monchique do século XVI de arquitetura manuelina, com alusões à vegetação local, permitindo que conheçamos uma coleção de valiosos objetos religiosos no seu pequeno museu. O Convento de Nossa Senhora do Desterro construído no século XVII, recorta uma paisagem natural com traços manuelinos. Avançando para a Serra de Monchique, localmente apelidada de “Jardim do Algarve”, somos convidados a contemplar a maravilha paisagística da região no Miradouro da Foia. O esplendor natural da região integra também o Parque do Barranco dos Pisões, um espaço verde com mesas de piquenique atravessado por uma ribeira, onde encontramos um monumental plátano centenário e um antigo moinho de água. Na localidade, vale ainda a pena conhecer a queda de água da Cascata do Barbelote, a Albufeira da Barragem de Odiáxere (Barragem da Bravura) e a Barragem de Odelouca, sendo esta última a principal responsável pelo abastecimento de água na região algarvia.

Lagos

Lagos é uma povoação litoral do Barlavento algarvio, conhecida pelo seu impacto na história dos Descobrimentos Portugueses, pela riqueza das suas praias e pelo vasto património histórico e cultural. Um dos destaques desta região é a cidade velha de Lagos, compreendida dentro das muralhas, que apenas podemos conhecer caminhando pelas ruas de pedra natural, devido a ser uma zona exclusivamente pedonal. As muralhas e torreões de Lagos, atualmente conhecidas como Castelo de Lagos, podem ser atravessadas pela Porta de São Gonçalo, localizada entre duas imponentes torres albarrãs. Em Lagos podemos ainda encontrar no Porto de Pesca perto da Marina de Lagos a arte piscatória tradicional, e no Mercado Municipal, onde desde o terraço podemos aceder ao Centro de Ciência Viva de Lagos, uma iniciativa cultural promovida pelo município, onde a ciência e a tecnologia se misturam com um programa lúdico-educativo de grande interesse para os mais novos e também para os graúdos. A Avenida dos Descobrimentos, uma avenida pedonal junto à ribeira de Bensafrim, que se destaca pela sua paisagem constante de barcos que navegam pelo canal até à marina e o porto de pesca.
Fora da zona muralhada de Lagos, podemos encontrar locais de interesse histórico e religioso, nomeadamente a Igreja de Santo António, erigida no século XIII e recuperada no século XVIII, dentro da qual encontramos o mais rico conjunto de talha barroca do Algarve, e o Museu Dr. José Formosinho. O Núcleo Museológico Rota da Escravatura ou Mercado de Escravos, uma atração situada no centro da cidade retrata a tradição quinhentista da venda dos escravos trazidos de África. Destacamos também a Igreja Paroquial de Santa Maria de Lagos, do século XV de estilo renascentista que integra no seu interior um valioso conjunto de imagens religiosas em estilo rococó.

Do lado Leste da ribeira de Bensafrim encontramos emblemáticas praias e monumentos. A praia de São Roque, de areias branca e água transparente, ao lado da famosa Meia praia, cujo areal se estende por 5 quilómetros, desde os molhes do farol de estibordo da cidade até à Ria de Alvor. Nas dunas do areal da Meia praia encontramos as ruínas do imponente Forte da Meia praia, um forte marítimo do século XVII de planta quadrangular criado com finalidades defensivas. A oferta das praias permite a prática de desportos de areia e mar, sendo que outras modalidades, como o golfe, podem ser praticadas no Palmares Golf, um percurso de golf com 9 buracos frente à ria do Alvor e ao mar.

De Lagos para a Vila da Luz encontramos o campo do Espiche Golf, que nos oferecerem um belíssimo enquadramento natural e um campo de 18 buracos. Em direção a Sagres, deparamo-nos com alguns pontos de elevado interesse lúdico e cultural, nomeadamente a gótico-românica Igreja Nossa Senhora de Guadalupe, que se destaca pela simplicidade da fachada, integrada numa envolvente natural junto à estrada N125 direção a Vila do Bispo. Ao chegarmos a esta vila, encontramos a Igreja Matriz de Vila do Bispo, uma das construções barrocas mais importantes do Algarve, de onde se destacam as paredes integralmente cobertas por azulejos setecentistas. Nesta estrada encontramos a entrada para Santo António – Parque da Floresta Golf, um campo de golf rodeado de moradias que se prolonga pelas colinas junto à tradicional aldeia de Salema.

Percorrendo o trilho da falésia desde Lagos, na sua conjetura circular, saímos da Avenida dos Descobrimentos de Lagos, passamos pelo Miradouro da praia da Batata para começar a vislumbrar um conjunto interessante de praias e espaços de interesse patrimonial, natural e arqueológico até chegarmos à praia de Porto de Mós, uma das praias famosas do município, que se destaca pelas arribas altas, pelo mar calmo e pela tonalidade azul e verde da sua envolvente.
Percorrendo este caminho, encontramos o Clube de Vela de Lagos e a praia dos Estudantes, assim como a Ponte Romana de Lagos que se sobrepõe à praia criando um arco numa paisagem natural. Ligada a esta, encontramos a praia do Pinhão e logo após o Miradouro da praia do Canavial de onde podemos vislumbrar um cenário extenso sobre a costa litoral, recortado pela falésia. A praia de Dona Ana, a praia do Camilo, a praia da Boneca, a praia dos Pinheiros e a praia da Balança seguem por esta linha arenosa e delimitada pela arriba, até chegarmos ao extremo da Ponta da Piedade, no ponto mais a Sul deste percurso. No cabo da Ponta da Piedade encontramos o miradouro e o Farol da Ponta da Piedade do século XX, que serve de apoio à navegação costeira. Neste local, as Caves da Ponta de Piedade constituem também um ponto de paragem obrigatória. Por fim, avançando para a praia de Porto de Mós encontramos a semicircular praia do Barranco do Martinho e o pequeno areal da praia do Canavial, rodeado de arribas de tonalidade amarela.

Vila da Luz

Vila da Luz é uma antiga aldeia tradicional piscatória situada a alguns quilómetros a Oeste de Lagos, que na antiguidade constituiu um complexo romano. A Vila da Luz integra um passeio litoral junto à emblemática praia da Luz, uma praia de areias claras, rodeada por rochas e pela falésia, de onde se destaca o Marco Geodésico da Atalaia situado a mais de 100 metros de altitude, e a Rocha Negra situada na encosta da falésia em direção ao mar. Na proximidade encontramos a Fortaleza setecentista e o miradouro da praia da Luz. O centro histórico da vila merece ser visitado para conhecer a medieval Igreja de Nossa Senhora da Luz de Lagos, de arquitetura gótica, manuelina e barroca. Regressando à orla litoral e avançando no sentido de Sagres encontramos a urbana praia do Burgau, que marca o limite do Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina a poente; as ruínas do Forte de Almádena, também conhecido como Forte da Boca do Rio; a tradicional e piscatória praia de Salema; e a praia do Zavial, que nos deixa a poucos quilómetros de Sagres.

Sagres

Sagres é uma vila histórica do Algarve, construída sobre as ruínas deixadas pelo terramoto de 1755, conhecida por ser o ponto extremo do Sudoeste da Europa. É também o local onde encontramos o Farol do Cabo de São Vicente, visualmente destacado pela sua torre de cantaria e a proximidade à falésia. O Cabo de São Vicente é um marco como ponto de partida e chegada para um dos Trilhos Europeus de Grande Rota GR11-E9, que liga o Cabo de São Vicente em Portugal, a São Petersburgo na Rússia, numa rota pelo litoral ocidental europeu. Avançando para a vila de Sagres, encontramos o Farol de Sagres, localizado junto à quinhentista Fortaleza de Sagres, e cuja estrutura defensiva abaluartada, atualmente ainda visível, data do século XVIII. Esta fortaleza encontra-se próxima à Prainha das Poças, sendo que a algumas centenas de metros, podemos encontrar a renascentista Igreja de Nossa Senhora da Graça, de fachada branca e traça simples, dentro da qual o retábulo de talha dourada e o painel de azulejos renascentistas são elementos de destaque. Aqui podemos visitar o Porto de Pesca da Baleeira e apreciar a tradicionalidade da entrada de embarcações pesqueiras, visitar a praia da Baleeira e a praia do Martinhal, encimada pelo conhecido Martinhal Sagres Beach Family Resort Hotel. Em Sagres existem algumas praias que que fazem parte da razão pela qual Sagres é conhecido como um destino mundial de surf, nomeadamente a urbana praia da Mareta, a praia do Tonel e a praia do Beliche.

A costa oeste de Sagres é reconhecida como um verdadeiro destino mundial de surf devido às caraterísticas da ondulação oceânica, proporcionado ondas de alta qualidade, e uma variedade praias de tipologias morfológicas distintas, com diferentes tipos de fundo de areia e rocha, e orientações geográficas criando ondas para a prática de diferentes níveis de surf. A praia do Tonel e a praia do Beliche destacam-se pela tranquilidade e pelas formações rochosas, e perto da praia do Beliche podemos visitar a Fortaleza do Beliche, cujos primeiros registos históricos datam do século XVI e que servia para proteger a região dos ataques de piratas e corsários. Ainda na rota dos surfistas, encontramos a natural praia do Telheiro; a praia da Ponta Ruiva, com as suas escarpas e ilhas de tonalidade rubra; a praia do Castelejo e o miradouro do Castelejo; a praia da Cordoama, a praia do Amado muito procurada por famílias surfista, devido à facilidade de estacionamento, infraestruturas e areal extenso, a praia do Portinho do Forno, a praia da Zimbreirinha e a praia da Bordeira conhecida pela ser o local onde a ribeira da Carrapateira desagua, e pelo areal longo. Na Carrapateira, considerando o papel histórico e atual do oceano para a região, recomendamos uma breve visita ao Museu do Mar e da Terra da Carrapateira, onde é retratada a função do mar nos costumes, práticas, economia e tradição da região.

Aljezur

Aljezur é uma localidade algarvia, delimitada pelo mar e pela serra, que se destaca pelas paisagens naturais e pelo património histórico e cultural. O património natural de Aljezur é representado pelo Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina, uma área nacional protegida que se estende ao longo mais de 100 quilómetros pela costa litoral oeste de Portugal, entre a localidade alentejana de Porto Covo e a aldeia algarvia do Burgau, abrangendo os concelhos algarvios de Aljezur e de Vila do Bispo. Esta região integra uma enorme biodiversidade, na qual se incluem espécies animais e vegetais únicas no mundo. A região destaca-se pela beleza natural das suas paisagens, marcadas pelas falésias escarpadas coloridas que são um dos símbolos deste parque natural. Ao longo do parque natural estão integradas inúmeras praias, com entorno rochoso, areias claras e maioritariamente com um mar propício para a prática de atividades desportivas de mar, incluindo o surf. Entre as praias, destacamos pequenas povoações posicionadas frente ao mar, com praias, estilos de vida e ambientes muito próprios, nomeadamente Porto Covo, Vila Nova de Milfontes, ou a Arrifana. O Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina integra também exemplares de destaque do património edificado, incluindo o Farol do Cabo de São Vicente e outros espaços que marcam intensamente a história nacional, como a Ponta de Sagres.

Sobranceiro à vila de Aljezur, o Castelo de Aljezur de origem árabe e arquitetura militar conquistado no século XIII serviu para a defesa do território, destacando-se atualmente pela sua imponência no ponto mais elevado da vila. Entre os espaços patrimoniais edificados, destacamos a Igreja Matriz de Aljezur, um templo do século XVIII de estilo barroco e neoclássico que ostenta uma fachada branca com uma torre sineira, e onde encontramos a imagem da Nossa Senhora da Alva, a padroeira local. Apesar do rico património, as praias são o ex-libris da região. A praia da Arrifana é um exemplo de destaque, uma praia com bandeira azul, localizada numa enseada e cujo extenso areal se encontra abrigado dos ventos de nortada, sendo que nesta praia podemos observar a Pedra da Agulha, um dos marcos visuais da Costa Vicentina, e vislumbrar uma panorâmica privilegiada desde a Fortaleza da Arrifana. Alguns quilómetros a Norte, junto à praia do Medo da Fonte Santa, situada a norte da Ponta da Atalaia, podemos encontrar um espaço de elevado valor arqueológico, com vestígios de um antigo Ribat muçulmano. Avançando para Norte, encontraremos a praia de Monte Clérigo, integrada numa pequena povoação de veraneio, que se destaca pelo areal extenso e pela incomum plataforma rochosa que observamos na maré baixa. Nesta linha de praias, sobressaem a praia da Amoreira, com uma envolvente verdejante de natureza; a praia da Carriagem e as formações rochosas que entram pelo oceano; a praia do Vale dos Homens, de grande beleza natural; a praia da Samouqueira, onde podemos aproveitar as águas tépidas de uma pequena baía e uma interessante gruta atravessável durante a maré baixa; a naturista praia das Adegas; e a praia de Odeceixe, rodeada de matos litorais e arribas negras.

A História do Algarve

O Algarve foi povoado desde o ano 1000 a.C. por vários povos, nomeadamente Celtas, Iberos, Fenícios, Cartagineses, Romanos, Vândalos, Suevos, Visigodos e Árabes. O período de ocupação muçulmana foi o mais duradouro e de grande importância para o Algarve, durante cinco séculos (715-1249), atingindo um elevado estatuto cultural e económico, principalmente em Silves, capital do al-Gharb al-Andalus da época. A influência muçulmana ainda hoje é visível em muitos aspetos da vida quotidiana do al Garb (em árabe significa “a ocidente”), nomeadamente nas chaminés algarvias, na formação de algumas palavras (quase todas as palavras portuguesas que começam por “al” têm origem árabe), nos moinhos, na caravela portuguesa, nos instrumentos náuticos e algumas técnicas agrícolas.
O Algarve foi conquistado no dia 29 de março de 1249 pelo rei português D Afonso III, contudo foi durante a época dos descobrimentos Portugueses que o Algarve teve um grande crescimento económico, nomeadamente nas localidades de Sagres e Lagos, que atingiram uma elevada importância devido ao estabelecimento de residência do Infante D Henrique, o grande impulsionador das Descobertas.

A região algarvia conheceu uma época de empobrecimento entre o século XVII e o século XX, com destaque para alguns acontecimentos, nomeadamente o terramoto de 1755, que abalou profundamente a região;

  • a fundação de Vila Real de Santo António em 1774 pelo Marquês de Pombal;
  • a criação da Companhia Geral das Reais Pescarias do Reino do Algarve em 1773;
  • a revolta de Olhão, que consistiu na revolta do povo olhanense contra as Invasões Francesas no dia 14 de abril de 1808;
  • a criação do transporte marítimo a vapor entre Vila Real de Santo António e Lisboa no dia 2 de junho de 1853;
  • e a ligação da linha de comboio Faro-Barreiro no dia 21 de fevereiro de 1889.
    Desde a década de 1970, a economia do Algarve tem crescido com uma forte aposta no setor do turismo, inicialmente com a criação dos resorts turísticos de Vilamoura, Quinta do Lago e Vale do Lobo, e posteriormente desde os anos 90 com a promoção de toda a região como “destino de Sol e Golf”. O Algarve é atualmente a principal região turística de Portugal, com oferta de qualidade em vários nichos turísticos, nomeadamente: golfe; praias; resorts; marinas e náutica; observação de Aves; vinho; gastronomia; hipismo e também com uma forte componente de investimento imobiliário devido à forte valorização e segurança de investimento.

Geografia do Algarve

O Algarve faz fronteira a norte com o Alentejo, a oeste e a Sul com o oceano Atlântico e a Leste com Espanha, separados pelo rio Guadiana. Tem aproximadamente 451 mil habitantes numa área geográfica de 5412 km2, uma extensão de 135 km de comprimento e uma largura máxima de 40 km. Com caraterísticas totalmente distintas ao longo do seu território, o Algarve divide-se em:

  • Barlavento Algarvio: é a zona ocidental do Algarve, inclui os concelhos de Albufeira, Aljezur, Lagoa, Lagos, Monchique, Portimão, Silves e Vila do Bispo. Os principais destaques naturais são as praias de areia com falésias, como a praia do Carvoeiro, o Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina, gruta de Benagil, as aldeias piscatórias;
  • Sotavento Algarvio: a zona oriental do Algarve, com destaque para o Parque Natural da Ria Formosa, um parque natural que se estende desde a Quinta do Lago até Cacela Velha, entre as freguesias litorais e o oceano, inclui os municípios de Alcoutim, Castro Marim, Faro, Loulé, Olhão, São Brás de Alportel, Tavira e Vila Real de Santo António;
  • Algarve central: é a zona de encontro entre o Barlavento e o Sotavento Algarvio, onde está situado a zona do Triângulo Dourado, uma triangulação entre os três resorts turísticos Quinta do Lago, Vale do Lobo e Vilamoura, os resorts de maior procura por parte dos investidores estrangeiros no Algarve, responsáveis pelo grande crescimento de turistas internacionais desde os anos 70. Ao redor do Triângulo Dourado, no Algarve tem-se desenvolvido uma economia de serviços relacionada com os investimentos de luxo, nomeadamente nos mais de 30 campos de golf, hotéis de 5 estrelas, restaurantes estrela Michelin, empresas de arquitetura, engenharia, arquitetura de interiores, paisagismo, agências imobiliárias, supermercados de luxo (Apolónia e Baptista). A existência do Triângulo Dourado no município de Loulé originou com que todas as freguesias circundantes obtivessem vantagens desse crescimento, criando oferta de empregos relacionados ao turismo e serviço. Atualmente o resort da Quinta do Lago e responsável por transações imobiliárias, numa única propriedade, que ultrapassam facilmente os 10 milhões de euros, assim como o resort de Vale do Lobo. Quinta do Lago e Vale do Lobo são resorts direcionados exclusivamente a um público alto, enquanto que o resort de Vilamoura oferece um estilo de vida mais familiar, tendo crescido com um mercado mais variado, com residentes portugueses e internacionais, apesar de proporcionar um estilo de vida de elevada qualidade, com uma oferta de serviços mais ampla para os turistas e investidores!

Litoral do Algarve:

O litoral do Algarve é a zona mais povoada da região. Com aproximadamente 200 km de costa litoral, o Algarve divide-se em três territórios:

  • o Planalto Vicentino, localizado no oeste do Algarve com paisagens de campos de dunas fósseis;
  • a Península de Sagres, conhecido como promontório de São Vicente, sendo o local do Algarve com a natureza no estado mais puro e selvagem. Os principais destaques são as praias de arribas com forte ondulação propicia à prática de surf, o Cabo de São Vicente, e a Fortaleza de Sagres, também conhecida com Castelo de Sagres ou Forte de Sagres;
  • litoral sul: um território com arribas calcárias a Barlavento, e praias extensas de areia a Sotavento

Barrocal Algarvio:

Barrocal do Algarve é a região localizada no centro interior do Algarve, entre o litoral e a serra Algarvia, com uma extensão que tem início no cabo de São Vicente e prolonga-se até Castro Marim. É o local onde encontramos alguns dos produtos típicos do Algarve com origem de árvores autóctones, nomeadamente as amendoeiras, as alfarrobeiras, as oliveiras e as figueiras. No Barrocal encontramos vários pontos de interesse ambiental, geológico, paisagístico e cultural, como a Cascata do Pego do Inferno, Cerro da Cabeça, Cerro de São Miguel, Rocha da Pena, Fonte Benémola, Nave do Barão, Castelo de Paderne, e o Castelo de Salir.

Serra Algarvia:

Serra Algarvia é região situada no norte do Algarve, na fronteira com o Alentejo, e abrange aproximadamente 50% do território algarvio, caraterizada por relevos montanhosos, nomeadamente:

  • a Serra de Monchique, designada pelos árabes por Munt Sàquir (montanha sagrada), situada no ocidente do Algarve, com o ponto mais alto em Fóia, com 902 metros de altitude;
  • a Serra do Caldeirão, localizada no centro e oriente algarvio, tem o ponto mais alto em Pelados, com 589 metros de altitude;
  • a Serra de Monte Figo, abrange os concelhos de Faro, de Olhão, Loulé e São Brás de Alportel, tem o ponto mais alto no Cerro de São Miguel, com 411 metros de altitude;
  • e a Serra de Espinhaço de Cão, situada no oeste do Algarve, tem o ponto mais alto no marco geodésico da Poldra, com 248 metros de altitude.

Principais centros comerciais no Algarve

  • AlgarveShopping, situado na freguesia da Guia, perto de Albufeira;
  • Algarve Outlet Olhão, situado na cidade de Olhão;
  • Aqua Portimão, situado na cidade de Portimão;
  • MAR Shopping, Outlet, e IKEA, situado perto da saída 13 da autoestrada Via do Infante, entre Loulé e Faro;
  • Forum Algarve, situado na entrada da cidade de Faro
  • Quinta Shopping, situado na entrada do resort Quinta do Lago
  • Tavira Gran-Plaza, situado na cidade de Tavira

Aeroporto Internacional de Faro

O Aeroporto Internacional de Faro fica localizado a quatro km da cidade de Faro. É a porta de entrada para a região com 36 campos de golfe, e com mais de 300 dias de sol por ano. A partir de Faro podemos voar em Portugal para Lisboa, Porto, Ponta Delgada nos Açores e Funchal na ilha da Madeira. Fora de Portugal, O Reino Unido, a Alemanha, a Holanda e a República da Irlanda constituem mais de 80% dos voos que chegam ao Aeroporto Internacional de Faro. Também existem ligações aéreas entre o Aeroporto Internacional de Faro para: Viena, na Áustria; Bruxelas (Charleroi e National Zavetem) na Bélgica; Copenhaga na Dinamarca; Madrid (Barajas) em Espanha; Bordéus, Lille, Lyon, Marselha (Provence), Nantes, Paris (Beauvais-Tille, Charles de Gaulle e Orly) e Toulouse em França; Cidade do Luxemburgo no Luxemburgo; Oslo (Gardermoen) na Noruega; Praga, na República Checa; Estocolmo (Arlanda) na Suécia; Basileia, Genebra e Zurique na Suíça; e fora da europa, Toronto (Pearson) no Canadá.

Marinas e Portos de abrigo do Algarve

O Algarve é visitado por mar por velejadores e cruzeiros vindos de todo o mundo. É um dos destinos de chegada para velejadores que atravessam o oceano Atlântico vindos do continente americano, das caraíbas, do norte da europa e do mar mediterrâneo.

  • Marina de Vilamoura: situada em Vilamoura, é a primeira marina de Portugal, inaugurada em 1974. A marina de Vilamoura tem recebido vários prémios, nomeadamente Bandeira Azul da Europa, Melhor Marina de Portugal atribuído pela Publituris Portugal Trade Awards e o International Marina of Distinction 2015-2017. A marina de Vilamoura encontra-se a uma distância aproximada de 160 milhas de Lisboa, 140 milhas de Gibraltar, e de 190 milhas de Puerto Banus. Tem 825 postos de amarração para embarcações até 60 metros de comprimento e 4 metros de calado. A marina de Vilamoura é palco de treino para regatas internacionais com o projeto Vilamoura Sailing que atraí velejadores olímpicos e profissionais de todo o mundo. Próximo da marina existe o CIMAV, um clube de vela fundado em 1975 que forma velejadores jovens, e organiza regatas de grande prestígio, nomeadamente a Torneio Internacional de Vela do Carnaval.
  • Marina de Albufeira: localizada a oeste do centro da cidade de Albufeira, foi inaugurada em 2004 e recebeu vários prémios, nomeadamente Cinco Âncoras de Ouro, atribuído pela “The Yacht Harbour Association”; Segunda Melhor Marina de 2015, e Bandeira Azul da Europa, a única marina em Portugal a receber esta distinção pelo décimo ano consecutivo. A marina de Albufeira tem 475 lugares de amarração para embarcações até 32 metros de comprimento e 4,5 metros de calado.
  • Marina de Lagos: está situada na margem nascente da ribeira de Bensafrin, próxima do centro histórico da cidade de Lagos, foi inaugurada em 1994, tendo recebido vários prémios, nomeadamente Euromarina Anchor Award, Bandeira Azul da Europa, Cinco Âncoras de Ouro do Gold Anchor Award, e Cinco Estrelas Blue Star Marina. A marina de Lagos tem 462 postos de amarração para embarcações até 30 metros de comprimento e 3 metros de calado.
  • Marina de Portimão: é uma referência para iates até 50 metros de comprimento, com 620 postos de amarração para embarcações até 50 metros de comprimento e 4,2 metros de calado. A marina de Portimão é detentora de vários prémios, nomeadamente Global Anchor Awards atribuído pela The Yacht Harbour Association, o Jack Nichol Award e o prémio Bandeira Azul da Europa.
  • Porto de Recreio de Olhão: situado na cidade de Olhão, em plena Ria Formosa, tem capacidade para 320 embarcações até 15 metros de comprimento e 2,5 metros de calado.
  • Porto de Recreio de Tavira: porto de recreio localizado em Tavira, tem capacidade para 70 amarrações para pequenas embarcações.
  • Porto de Recreio do Guadiana: situado em Vila Real de Santo António, tem capacidade para 360 embarcações até 20 metros de comprimento e 3 metros de calado. O porto de recreio do Guadiana inclui vários serviços e infraestruturas, nomeadamente a Escola de Vela da Associação Naval do Guadiana.

Hospitais públicos no Algarve

  • Centro Hospitalar Universitário do Algarve – Hospital de Faro;
  • Hospital Distrital de Lagos / Centro Hospitalar do Barlavento Algarvio;
  • Centro Hospitalar Universitário do Algarve – Hospital de Portimão.

Hospitais privados no Algarve

  • Hospital de Loulé (24Horas)
  • Grupo HPA SAUDE Hospital Particular do Algarve (24Horas), com vários polos em Alvor; Gambelas, Faro; Hospital de São Camilo, Portimão; Hospital São Gonçalo de Lagos.
  • Hospitais Lusíadas
Back to Top
error: