Guarda é o centro de Portugal, um local único no país onde encontramos a Serra da Estrela, a única estância de ski em Portugal. Local de muita água, onde nascem 4 dos rios Portugueses.

Guarda

Guarda é a cidade mais alta de Portugal, situada a 1056 metros de altitude, entre o Planalto Guarda-Sabugal e o sistema montanhoso Montejunto-Estrela, onde encontramos o Parque Natural da Serra da Estrela, a maior área protegida em Portugal, com a montanha mais alta de Portugal continental a 1993 metros de altitude, uma atração de inverno para os desportos de inverno de ski e snowboard. A região da Guarda é conhecida pela qualidade do fumeiro e queijaria de método artesanal. Aqui na Serra da Estrela podemos visitar as nascentes do Rio Mondego; o Rio Zêzere; o Rio Alva e o Rio Alvôco. Guarda é capital de distrito, localizada na região Centro de Portugal, e sub-região das Beiras e Serra da Estrela, localizada a uma distância de 199 kms do Porto e 318 kms de Lisboa. Guarda é uma cidade histórica, fundada em 1199. O centro histórico da cidade da Guarda mostra a presença da comunidade judaica ao longo da história.

Locais a visitar na Guarda

Praça Luís de Camões ou Praça Velha

Praça Luís de Camões ou Praça Velha: é o local mais movimentado da cidade. Aqui encontramos a Sé Catedral da Guarda, os antigos Paços do Concelho, palácios de antigas famílias nobres, como o Solar dos Póvoas, o Welcome Center da Guarda, e o edifício dos Balcões com um conjunto arquitetónico do século XVII.

Sé Catedral da Guarda

Sé Catedral da Guarda: é uma catedral de estilo românico construída no século XIV, com destaque para o altar da cabeceira esculpido em pedra de ançã representando episódios da vida de Jesus Cristo. É o monumento mais importante da Guarda.

Rua Francisco de Passos

Rua Francisco de Passos: conhecida como Rua Direita, é o eixo principal da zona medieval da cidade da Guarda. Nesta rua as lojas de comércio estão instaladas em edifícios de traços arquitetónicos ricos e variados, com fachadas do século XVI de estilo arquitetónico do reinado de D Manuel I, e edifícios de arquitetura do rei espanhol Filipe I, que dominou Portugal durante o século XVI.

Castelo do Sabugal

Castelo do Sabugal: é um castelo medieval classificado Monumento Nacional, situado no topo da colina sobre a cidade do Sabugal, com grande importância na antiguidade por permitir o controlo sobre o rio Côa. Reza a tradição que foi no largo deste castelo que se deu o famoso milagre das rosas tendo como protagonistas a Rainha Santa Isabel e o rei D. Dinis.

Parque Urbano do Rio Diz

Parque Urbano do Rio Diz: é um parque verde situado no centro da cidade da Guarda, muito procurado por famílias com crianças, devido ao parque infantil e aos espaços verdes que permitem a vida e brincadeira ao ar livre, também muito procurado por jovens para prática de desporto, e pessoas de todas as idades para caminhadas e desfrutar da natureza. No parque urbano do Rio Liz encontramos um café com esplanada e grande áreas relvadas com árvores de grande porte.

Torre de Centum Cellas

Torre de Centum Cellas: é um edifício romano do século I com aproximadamente 12 metros de altura, classificado como Monumento Nacional, situado no monte de Santo Antão

Castelo da Guarda

Castelo da Guarda: é um castelo do século XII de estilo gótico, construído em granito. Com a expansão da cidade, parte das muralhas do castelo foram demolidas, contudo ainda podemos visitar partes do castelo ao longo da cidade, nomeadamente a Porta d`el Rei, uma das portas de circulação do complexo defensivo da Idade Média; a Porta e Torre dos Ferreiros, construídas para defenderem a cidade no século XII; a Porta da Erva, uma das portas de circulação da cidade que remonta ao século XIII, também conhecida por Porta da Estrela; a Torre de Menagem, construída no século XIII para integrar uma estrutura militar e residencial imponente, a Alcáçova, onde morava o alcaide-mor e a sua família, ao mesmo tempo que era guarnição militar; a Torre Velha, localizada na zona Norte da cidade, é a construção que resta do castelo primitivo mandado edificar pelo rei português D Sancho I; e o Bairro Judaico, uma judiaria localizada na Paróquia de São Vicente no interior das muralhas, inclui a rua de São Vicente, a Rua Direita e o Largo de São Vicente. O edifício principal desta comunidade judaica é a Sinagoga. Existem registos da presença judaica na Guarda desde o século XIII.

Termas do Cró

Termas do Cró: são um hotel com tratamento termal, parte de um projeto da Associação das Termas de Portugal que visa promover as Estâncias termais que integram a rede composta pelas Termas de Alcafache, Termas de Almeida – Fonte Santa, Termas de Águas – Penamacor, Termas do Bicanho, Caldas da Felgueira, Caldas da Rainha, Termas do Carvalhal, Termas da Curia, Termas do Cró, Termas da Ladeira de Envendos, Termas de Longroiva, Termas de Luso, Termas de Manteigas, Termas de Monfortinho, Termas da Piedade, Termas de Sangemil, Termas de São Pedro do Sul, Termas de Unhais da Serra, Termas de Vale da Mó e Termas do Vimeiro.

Museu da Guarda

Museu da Guarda: é um museu arqueológico instalado no antigo Seminário Episcopal construído em 1601, com uma exposição permanente onde podemos encontrar duas espadas da idade do Bronze, uma fíbula anular hispânica do séculos V/VI a. C., a coleção de numismática romana, um torso Imperial Romano do século II, um biface (as primeiras ferramentas de corte pré-históricas) datado de há 100 mil anos, e os forais manuelinos da cidade da Guarda.

Castelo de Castelo Mendo

Castelo de Castelo Mendo: é uma aldeia muralhada medieval histórica, onde podemos visitar partes do castelo, nomeadamente a cidadela, a torre de menagem, a cerca da vila, e a Porta da Vila. Desde o Castelo podemos visualizar todo o vale do rio Via.

Castelo de Vila do Touro

Castelo de Vila do Touro: é um dos cinco castelos erguidos no Concelho de Vila do Touro, com grande parte do castelo em estado de ruínas, é no entanto um local histórico com uma envolvente medieval. Do alto dos muros do castelo podemos desfrutar de uma vista panorâmica sobre as localidades vizinhas de Abitureira, Arrifana, Baraçal, Guarda, Martim Pêga, Pega, Sabugal e Seixo do Côa.

Castro do Jarmelo

Castro do Jarmelo: é um antigo povoado classificado como Imóvel de Interesse Público, datado da Idade do Ferro, época Romana e Cristão Medieval. É um castro muralhado situado numa elevação do Planalto da Guarda, no lugar da antiga vila do Jarmelo. O acesso ao castro é feito por uma estrada de calçada romana.

Ponte de Sequeiros

Ponte de Sequeiros: é uma ponte medieval fortificada, sustentada por três arcos plenos sobre o rio Côa, de construção provável do século XIII.

Convento de São Francisco

Convento de São Francisco: é um convento histórico construído no século XIII fora das muralhas da cidade para prestar apoio às populações aí residentes. Atualmente o convento aloja o Arquivo Distrital da Guarda. No interior deste edifício destacamos a igreja, um pátio fechado e o claustro.

Chafariz de Santo André

Chafariz de Santo André: construído no século XVIII é um dos maiores chafarizes da cidade da Guarda.

Igreja da Misericórdia

Igreja da Misericórdia: é um dos edifícios mais importantes da época barroca da cidade da Guarda, uma igreja construída no século XVIII, destaca-se pelas armas reais do rei português D João V, e pela imagem de Nossa Senhora da Misericórdia.

Igreja de São Vicente

Igreja de São Vicente: construída no século XIII dentro das muralhas destaca-se pelas duas torres com sinos, pelos azulejos e pelas molduras que retratam episódios da vida de Nossa Senhora e de Jesus Cristo.

Paço Episcopal e Seminário

Paço Episcopal e Seminário: mandado construir pelo Bispo da Guarda D. Nuno de Noronha no século XVII, é o local onde está instalado atualmente o Paço da Cultura.

Antigo Sanatório da Guarda

Antigo Sanatório da Guarda: o Antigo Sanatório Sousa Martins é um edifício classificado Conjunto de Interesse Público, construído nos fins do século XIX marca o início da luta em Portugal contra a tuberculose.

Solar dos Póvoas

Solar dos Póvoas: é um solar histórico construído no século XVIII, destaca-se pela arquitetura e bom estado de conservação do edifício, um dos mais belos edifícios da cidade da Guarda.

Locais a visitar perto da cidade da Guarda

Serra da Estrela

Serra da Estrela: é a serra mais alta de Portugal continental, inclui o primeiro parque natural criado em Portugal, com aproximadamente 101 mil hectares, em 16 de Julho de 1976. A Serra da Estrela é local onde encontramos as temperaturas mais baixas de Portugal no Inverno, com ocorrência regular de precipitação de neve durante o inverno, local onde encontramos a única estância de ski de Portugal, a uma altitude máxima de 1993 metros na Torre, abrangendo os três municípios de Covilhã, Seia e Manteigas. A região da Guarda é muito conhecida pela gastronomia, nomeadamente o queijo da Serra da Estrela, o arroz de carqueja, o licor de zimbro, a aguardente de mel ou as trutas de Manteigas, e pela criação de cães de raça Serra da Estrela, com caraterísticas de cão de guarda e pastoreio. Na Serra da Estrela encontramos a nascente dos dois maiores rios exclusivamente nacionais: o rio Mondego e o rio Zêzere. É no Vale do Côa, no parque natural da Serra da Estrela que existe o mais espantoso conjunto de gravuras rupestres ao ar livre a nível mundial. Existem vinte e cinco lagoas que podemos visitar.

Celorico da Beira

Celorico da Beira: é uma vila localizada a aproximadamente 550 metros de altitude no extremo Norte da Serra da Estrela, com aproximadamente 7100 habitantes. Em Celorico da Beira destacamos a Igreja de Santa Maria, a Igreja da Misericórdia, o Solar do Queijo e o Museu do Agricultor e do Queijo. Esta localidade é conhecida como sendo a “Capital do Queijo da Serra da Estrela”. A localidade mais emblemática deste concelho é Linhares da Beira, classificada como Aldeia Histórica. O património desta aldeia inclui o castelo, o pelourinho e a Igreja Matriz de Nossa Senhora da Assunção. Com paisagens deslumbrantes, é local de eleição para a prática de Parapente e palco de campeonatos regulares de voo livre.

Covilhã

Covilhã: é uma cidade localizada a sudoeste da Serra da Estrela com aproximadamente 52 mil habitantes. Destacamos a visita à Real Fábrica de Panos da Covilhã, o Museu dos Lanifícios da Universidade da Beira Interior, a Capela de Santa Cruz, a Capela de São Martinho, a Igreja de Nossa Senhora da Conceição, a Igreja da Misericórdia, o pelourinho, as muralhas da cidade, o Templo Romano da Senhora das Cabeças em Orjais. Perto da Covilhã podemos visitar a estância termal de Unhais da Serra, com águas a 31ºC e indicadas para o tratamento de reumatismo, problemas nas vias respiratórias e problemas de pele. A nível paisagístico destacamos o covão do Boi, a cascalheira do Alto da Pedrice, o Vale Glaciário da Alforfa, Piornos e a Varanda dos Carqueijais. O ponto mais alto da Serra da Estrela é a “Torre”, partilhado por Covilhã, Seia e Manteigas.

Fornos de Algodres

Fornos de Algodres: é uma pequena vila que comporta as 12 freguesias de Algodres, Casal Vasco, Cortiçô e Vila Chã, Figueiró da Granja, Fornos de Algodres, Infias, Juncais, Vila Ruiva e Vila Soeiro do Chão, Maceira, Matança, Muxagata, Queiriz, e Sobral Pichorro e Fuinhas.

Gouveia

Gouveia: é uma cidade localizada na zona ocidental da Serra da Estrela tem aproximadamente 15 mil habitantes. Gouveia fica a aproximadamente 700 metros de altitude. Neste concelho há a destacar o Museu Municipal de Arte Moderna Abel Manta, a Biblioteca Municipal Vergílio Ferreira, os Paços do Concelho, a Casa da Torre, a Igreja de São Pedro, a Igreja da Misericórdia. Perto da cidade fica o Convento de São Francisco. No que diz respeito ao património natural há a destacar Casais de Folgosinho, planalto da Santinha, fragões das Penhas Douradas, Vale do Rossim e Sumo do Mondego.
Cabeça do Velho: é uma rocha imponente em forma de cabeça humana, situada na beira da estrada n232 que liga a Gouveia. A Cabeça do Velho eé um ponto de referência para fotografias com a paisagem do Parque Natural da Serra da Estrela.

Manteigas

Manteigas: é uma vila localizada em pleno Parque Natural da Serra da Estrela, com aproximadamente 3500 habitantes. A vila de Manteigas fica a aproximadamente 775 metros de altitude. Relativamente ao património edificado, destacamos a Casa das Obras, um solar nobre construído no centro desta vila. Perto de Manteigas existe uma estância termal, consideradas adequadas para tratar problemas nas vias respiratórias, ossos e pele. Manteigas apresenta um património natural muito rico, nomeadamente os cântaros Magro, Raso e Gordo, a Rua dos Mercadores, o miradouro do Fragão do Corvo, a Nave de Santo António, o Poço do Inferno, o vale glacial do rio Zêzere, o Seixo Branco, o Vale das Éguas e o Covão da Ponte.

  • Poço do Inferno: é uma cascata situada perto da povoação de Manteigas, na Serra da Estrela, com uma queda de água para uma pequena lagoa de água transparente rodeada por rochedo e natureza.

Mêda

Mêda: é uma cidade localizada a aproximadamente 670 metros de altitude em plena Serra da Estrela, conhecida pela sua grande beleza paisagística e pela produção de vinho. Como algum património histórico, destacamos a Igreja Matriz do século XVI, a Torre do Relógio, o Chafariz da Praça da Igreja, a Fonte do Espírito Santo, o Museu Municipal e o solar das Casas Novas do século XVIII. Perto de Mêda destacamos a aldeia histórica de Marialva, o Sítio Arqueológico do Vale do Mouro e as Termas de Longroiva.

Seia

Seia: é uma cidade localizada na zona Sudoeste da Serra da Estrela, com aproximadamente 25 mil habitantes. Na cidade de Seia destacamos a Igreja Matriz, a Igreja de Nossa Senhora do Rosário, a Capela de São pedro, o solar dos Botelhos, a Igreja da Misericórdia, a Casa do Despacho, o solar da família Miranda Brandão, o Museu do Brinquedo, Museu do Pão e a Fonte da Casa das Obras, onde está instalada a Câmara Municipal. Relativamente ao património natural em Seia, destacamos a lagoa Comprida, o lagoacho das Favas, o vale da Caniça, o covão do Urso, a cascata da Fervença, a garganta e os poços de Loriga e o rio Alva.

  • Museu do Pão: é um museu privado com mais de 3.500 m2 de área coberta num edifício com vista sul.
  • Buraco da Moura: é uma praia fluvial com fundo e laterais em rocha de granito natural, envolva pela vegetação. Aqui podemos encontrar um pequeno bar de apoio.
  • CISE – Centro de Interpretação da Serra da Estrela: é uma entidade vocacionada para a promoção do conhecimento e divulgação do património ambiental da serra da Estrela, nomeadamente promoção de atividades de natureza, investigação científica, educação ambiental e turismo de natureza;
  • Museu Natural da Eletricidade de Seia: é um museu com o espólio da antiga central hidroelétrica da Senhora do Desterro, uma das mais antigas centrais hidroeléctricas de Portugal inaugurada em 1909.
  • Barragem do Vale do Rossim: é uma barragem no Vale de Rossim, no meio da natureza, um espaço muito agradável para caminhadas. Este local é muito procurado no verão como praia fluvial. Perto da barragem existe um ecoresort e um restaurante.
  • Lagoa Comprida: é uma lagoa natural inserida numa paisagem idílica, junto da Serra da Estrela. A praia fluvial é muito procurada durante o verão.

Trancoso

Trancoso: é uma cidade localizada a aproximadamente 900 metros de altitude, parte do roteiro Aldeias Históricas de Portugal. Em Trancoso destacamos o parque Municipal de Trancoso, a Capela de São Bartolomeu do século XVIII, onde foi celebrado o casamento do rei português D. Dinis com a Rainha Santa Isabel, a Igreja de Santa Maria de Guimarães, a Igreja da Misericórdia, a Igreja de São pedro onde está sepultado o poeta/profeta português Bandarra, a casa-quartel do General inglês Beresford, o Palácio Ducal antigo bairro judaico, e o castelo. Perto de Trancoso podemos visitar Necrópole Antropomórfica (um cemitério pré-histórico), a Capela de Santa Luzia, a Igreja de Nossa Senhora da Fresta, a Capela do Senhor da Calçada, a Fonte da Vide, a Fonte Nova, e o Convento de Frades.

Vila Nova de Foz Côa

Vila Nova de Foz Côa: é uma cidade localizada no distrito da Guarda com aproximadamente 3 mil habitantes. Vila Nova de Foz Côa é Património Mundial da Humanidade pela UNESCO devido às suas gravuras rupestres ao ar livre no vale do rio Côa, um dos maiores centros arqueológicos de arte rupestre da Europa. Em Vila Nova de Foz Côa destacamos a Capela de Nossa Senhora da Conceição, a Capela de Santa Luzia, a Capela de Nossa Senhora da Veiga junto ao rio Douro, a Capela de Santa Bárbara, a Capela de São Pedro, a Capela de Santo António, a Barragem e Estação do Pocinho, a Reserva de Caça Associativa e o Miradouro dos Aflitos. A gastronomia de Vila Nova de Foz Côa tem pratos típicos como o javali, o cabrito assado, os bolos de amêndoa, as súplicas, as migas de peixe, o fumeiro e as omeletes de espargos silvestres. Em Foz Côa é o local de produção do vinho “Barca Velha”, um dos vinhos mais conceituados de Portugal.

Economia da Guarda

O distrito da Guarda vive principalmente das indústrias automóvel, alimentar, têxtil e da transformação de madeiras, da pecuária com a criação de gado bovino e caprino, e do cultivo da batata, de cereais, vinho e azeite. Com uma economia de estrutura produtiva dividida em três setores principais: comércio com 41% da atividade, 23% indústria transformadora com 23% e indústria da construção com 15%. Nas indústrias transformadoras há a destacar as áreas alimentares, o têxtil e a transformação de recursos naturais em energia, com destaque para a energia eólica. A produção de vinho desempenha um papel importante na economia e tem vindo a aumentar a sua capacidade exportadora: mais 620 mil garrafas de vinho, aproximadamente 21% da produção, destina-se a mercados como a Polónia, França, Luxemburgo, Suíça, Angola, Brasil, China e E.U.A. de acordo com a Comissão Vitivinícola Regional. Outro produto típico que está a aumentar a sua capacidade de exportação é o queijo, com dezassete produtores certificados de queijo, incluindo sete produtores de queijo da Serra, que estão a aumentar as suas vendas para vários mercados, com um destaque especial para o mercado chinês.
O Instituto Politécnico da Guarda desempenha um papel central na economia desta região portuguesa uma vez que permite fixar população jovem, aumentar a competitividade empresarial e promover o investimento em Investigação e Desenvolvimento. Esta Instituição Educativa contribui com 72% do conhecimento nesta área.
Guarda tem um forte potencial de crescimento, localizada numa região estratégica que inclui as principais rotas ferroviárias e rodoviárias da Península Ibérica. Esta região serve de posicionamento estratégico para empresas que pretendem expandir para o mercado ibérico e europeu.

Artesanato da Guarda

O artesanato da região da Guarda é muito rico e ancestral. Os principais produtos, indústrias agrícolas e artesanais desta localidade portuguesa são:

  • Azeite: com uma produção de milhões de litros de azeite praticamente dedicada à exportação para Itália, Espanha e EUA;
  • Castanha;
  • Enchidos: no concelho da Guarda são produzidas as morcelas de sangue, as farinheiras, as chouriças, o presunto e os buchos;
  • Queijo da Serra: é um queijo curado feito artesanalmente há centenas de anos a partir do leite de ovelhas alimentadas a partir de pasto livre, um dos queijo mais apreciados em Portugal, com certificação DOC (denominação de origem controlada) da União Europeia. O queijo da serra foi nomeado uma das 7 Maravilhas da Gastronomia de Portugal em 2011
  • Campainhas de Maçainhas: são uns sinos de bronze produzidos artesanalmente na aldeia de Maçainhas desde tempos antigos. As Campainhas de Maçainhas são utilizadas ao pescoço das ovelhas, com o objetivo de sinalizar o pastor relativamente aos animais do pasto.
  • Cestariade Gonçalo: é uma atividade milenar de uma época anterior à ocupação romana, que consiste na produção artesanal de cestos em verga e vime como utensílios quotidianos.
  • Cobertor de Papa: é um cobertor artesanal tradicional português da região da Guarda, criado a partir da atividade artesanal de produção de cobertores criados a partir da lã churra extraída à ovelha autóctone portuguesa de raça mondegueira, oriundas da região da Guarda. A produção têxtil foi impulsionada no século XVIII por um projeto do governo português de iniciativa do Marquês de Pombal
  • Cutelaria de Facas do Verdugal: é uma atividade artesanal de produção de facas de lâmina de aço e cabo de madeira.
  • Forno comunitário: é uma tradição ainda presente em algumas localidades de Portugal, onde a presença de um forno comunitário permite às famílias habitantes juntarem-se e cozerem o pão produzido a partir das farinhas produzidas das suas sementeiras de centeio, trigo e milho.

Gastronomia da Guarda

A gastronomia da Guarda é tradicional, variada e intensa. Os pratos típicos desta região incluem especialidades como: Caldo de grão; Sopa de castanhas; Bacalhau assado à Lagareiro; Bacalhau à Conde da Guarda; Bacalhau assado à Lagareiro; Trutas; Morcelas; Cabrito Assado; Costeletas de Javali com Castanhas; Cerejas; Maçãs; Pêssegos; Arroz doce; Doce de abóbora; Filhoses; Queijo da Serra; Requeijão.

Feiras e romarias da região da Guarda

No distrito da Guarda há a destacar várias festas e romarias:

  • Romaria da Senhora do Mileu, acontece anualmente em Agosto;
  • Romaria de Nossa Senhora da Misericórdia, acontece anualmente em Setembro;
  • Romaria de São Pedro, acontece anulamente em Abril;
  • Feira de São Francisco, acontece anualmente em Outubro;
  • Festa da Senhora do Açor.

Guarda, a Cidade dos Cinco F`s

Guarda é conhecida como a cidade dos 5 f’s, caraterizada como Forte, Farta, Fria, Fiel, e Formosa:
Forte: devido à posição defensiva do castelo, e à pedra de granito, que carateriza a paisagem natural e urbana da Guarda;
Farta: devido aos subsolos férteis e à grande quantidade de cursos de água que garantem a sustentabilidade da região;
Fria: devido ao clima provocado pela altitude e proximidade à Serra da Estrela,
Fiel: devido ao facto histórico das suas gentes serem desde tempos antigos, leais, íntegras, honestas e hospitaleiras;
Formosa: devido à beleza das paisagens, património, jardins, e parques naturais.

Historia da Guarda

A cidade da Guarda recebeu o seu primeiro foral em 1199 atribuído por D Sancho I, o segundo rei português. A cidade da Guarda é capital de distrito com o mesmo nome, sendo um dos maiores concelhos portugueses no que diz respeito ao número de freguesias, área física e número de habitantes. Esta cidade da região centro de Portugal retrata-se como sendo alta, montanhosa, histórica e monumental.
Esta localidade portuguesa tem mais de 800 anos de História e um património único no país, tendo dois ex-libris: Torre de Menagem, onde se pode avistar uma paisagem de uma beleza rara e a perder de vista até Espanha e a Sé.
O distrito da Guarda é distinguida pela qualidade do seu ar desde o século XIX, refletido na construção de um sanatório dedicado à cura da tuberculose por ordem da rainha D Amélia no século XIX e pelo prémio de “Cidade Bioclimática Ibérica” atribuído em 2002 pela Federação Europeia de Bio Climatismo.

Organização administrativa do distrito da Guarda

O distrito da Guarda faz fronteira com os distritos de Bragança, de Castelo Branco, de Coimbra e Viseu. Esta região é atravessada pelo rio Douro, Mondego, Zêzere e Alva. O distrito da Guarda está organizado nos 14 municípios: Aguiar da Beira, Almeida, Celorico da Beira, Figueira de Castelo Rodrigo, Fornos de Algodres, Gouveia, Guarda, Manteigas, Meda, Pinhel, Sabugal, Seia, Trancoso, e Vila Nova de Foz Côa. E nas 43 freguesias de Adão, Aldeia do Bispo, Aldeia Viçosa, Alvendre, Arrifana, Avelãs da Ribeira, Avelãs de Ambom e Rocamondo, Benespera, Casal de Cinza, Castanheira, Cavadoude, Codesseiro, Corujeira e Trinta, Faia, Famalicão, Fernão Joanes, Gonçalo, Gonçalo Bocas, Guarda, Jarmelo São Miguel, Jarmelo São Pedro, João Antão, Maçainhas, Marmeleiro, Meios, Mizarela, Pêro Soares e Vila Soeiro, Panoias de Cima, Pega, Pera do Moço, Porto da Carne, Pousade e Albardo, Ramela, Rochoso e Monte Margarida, Santana da Azinha, Sobral da Serra, Vale de Estrela, Valhelhas, Vela, Videmonte, Vila Cortês do Mondego, Vila Fernando, Vila Franca do Deão, e Vila Garcia.

Factos e curiosidades sobre Guarda

  • O natural da Guarda chama-se de egitaniense ou guardense
  • Guarda foi o berço da Língua Portuguesa, quando em 1189 um trovador galego escreveu um texto para a sua amada;
  • Feriado municipal: 27 de Novembro;
  • População da cidade da Guarda: aproximadamente 26 mil habitantes;
  • População do município: aproximadamente 43 mil habitantes;
  • População do distrito: aproximadamente 175 mil habitantes;
  • Área: 712.1 km2;
  • Ano de fundação da cidade da Guarda: ano de 1199 por D Sancho I;
  • Região de Portugal: Centro;
  • Distrito: Guarda;
  • Antiga Província: Beira Alta;
  • Economia: 41% no setor do comércio, 23% na indústria transformadora e 15% na construção;
  • Feriado Municipal: 27 de Novembro.
Back to Top
error: