Universidade De Coimbra, O Ex Libris Da Cidade

Universidade de Coimbra, o ex-libris da cidade

Coimbra

Coimbra é a cidade portuguesa com maior tradição universitária. Situada na província da Beira Litoral, Coimbra é maior cidade da região do Centro de Portugal. Coimbra é uma cidade associada à juventude, ao conhecimento, ao movimento e descontração devido à forte presença da Universidade. A Universidade de Coimbra é das universidades mais antigas da Europa, é a cidade com mais estudantes em Portugal, com aproximadamente trinta mil estudantes todos os anos. Na Universidade e um pouco por toda a cidade podemos ver os universitários vestidos com o traje académico branco e preto. As tradições académicas e o fado ocupam um lugar importante no dinamismo e turismo de Coimbra.

A cidade de Coimbra

A cidade de Coimbra pode ser dividida em duas zonas principais:

  • Cidade Alta: esta zona proporciona uma vista única sobre a cidade e sobre o rio Mondego.
    Nesta colina encontra-se um conjunto universitário único em Portugal que inclui: a Universidade de Coimbra, a Biblioteca Joanina, a Capela de São Miguel, a Prisão Medieval e Académica, a Sala das Armas, a Sala dos Capelos, a Sala do Exame Privado, a Torre da Universidade.
  • Baixa da Cidade: a Baixa de Coimbra é a zona comercial de excelência da cidade oferecendo uma grande variedade de estabelecimentos a quem a visita, nomeadamente: lojas de artesanato, alfarrabistas, casas de fado, bares, hotéis, hostels, museus, repúblicas e galerias de arte.

Centro da cidade de Coimbra

O centro da cidade de Coimbra é composto pela Alta da Cidade, Praça do Comércio, a Rua Ferreira Borges e a Praça 8 de Maio, os locais onde encontramos as principais lojas de comércio em ruas edifícios históricos. No topo da Alta da Cidade encontramos a Universidade de Coimbra, na zona baixa, frente ao rio Mondego encontramos a entrada principal da rua Ferreira Borges, uma zona pedonal. Entramos frente à ponte de Santa Clara sobre o rio Mondego, pelo Largo da Portagem, onde encontramos um jardim e o monumento em homenagem a Joaquim António de Aguiar, envolvidos por edifícios históricos da cidade de Coimbra, nomeadamente o edifício do Banco de Portugal. A rua Ferreira Borges é uma rua pedonal com piso em pedra tradicional de calçada portuguesa, estreitada pela arquitetura da cidade antiga, com edifícios de habitação, com lojas de comércio de roupa, bancos, joalheria, restaurantes, cafés com esplanada, e farmácias, serviços, e a transversal com entrada para zona monumental de Coimbra, a partir da Porta de Barbacã. No Final da Ferreira Borges encontramos a Praça 8 de Maio, com a imponente igreja de Santa Cruz, a Câmara Municipal de Coimbra e o Mosteiro de Santa Cruz de Coimbra. Paralelamente à rua Ferreira Borges, encontramos a Praça do Comércio, um local amplo com restaurantes, lojas de comércio, a igreja de São Tiago e a igreja de São Bartolomeu. A partir daqui podemos percorrer as ruas estreitas, apreciar a arquitetura antiga, e fotografar os pormenores até alcançarmos a Universidade no topo da colina.

Locais a visitar em Coimbra (top 10)

1. Universidade Coimbra

Universidade Coimbra: a Universidade de Coimbra é o ex-libris da cidade. Esta cidade universitária encontra-se situada na parte alta da cidade. Este complexo tem como centro o Pátio das Escolas, local onde se vê milhares de jovens vestidos com o traje académico a andar de um lado para o outro em movimento constante.
Fundada em 1290, a Universidade de Coimbra integra um vasto complexo composto por:

  • Biblioteca Joanina: Biblioteca construída em 1717, inclui uma coleção de mais de 60 mil volumes
  • Capela de São Miguel: esta capela foi inaugurada em 1517. Tem como principal destaque um órgão barroco construído em 1733.
  • Prisão Medieval e Académica: é a única prisão medieval que existe em Portugal.
  • Sala das Armas: local onde são realizadas algumas cerimónias académicas.
  • Sala dos Capelos: a Sala dos Capelos é o local onde se realizam as cerimónias mais importantes da Universidade, nomeadamente:
    1. os Doutoramentos solenes,
    2. a Investidura do Reitor e
    3. a Abertura Solene das Aulas.
  • Sala do Exame Privado: era o local onde até ao século XIX se realizava o exame privado antes de seguir para Doutoramento. Nesta sala encontram-se os retratos dos reitores da Universidade de Coimbra entre os séculos XVI e XVIII.
  • Torre da Universidade: esta torre foi construída com o objetivo de assinalar o início e o fim dos estudos através dos seus sinos. Foi inaugurada em 1733. A Torre proporciona uma paisagem única de toda a cidade.
  • Observatório Geofísico e Astronómico: é observatório da Universidade de Coimbra criado durante a Reforma Pombalina desta Universidade. Em 1951 recebeu novas instalações no Alto de Santa Clara.
    Neste Observatório estuda-se Astronomia e Astrofísica fazendo parte de programas europeus da Agência Espacial Europeia. O Observatório inclui um museu com um acervo de instrumentos de observação e medição astronómica e terrestre, uma coleção de mapas e cartas celestes dos séculos XVII e XIX.
  • Estátua de Dom Dinís: é a estátua imponente situada na praça Dom Dinis, na entrada da Universidade de Coimbra, em homenagem ao rei D. Dinis, responsável pela criação da Universidade de Coimbra em 1 de março de 1290, quando assinou “Scientiae thesaurus mirabilis”, o documento intermediado e confirmado pelo Papa, criando assim o Estudo Geral que reuniu as faculdades em Lisboa, e posteriormente transferidas para o Palácio Real de Coimbra durante o século XIV.
  • Porta Férrea: é uma porta imponente com representações da figura da Sapiência, das Leis e Medicina, da Teologia e Cânones, a figura do rei D. João III e a figura do rei D. Dinis, o fundador da Universidade. A Porta Férrea está situada na entrada do antigo Paço da Alcáçova, a cidadela de Coimbra. Atualmente é a entrada para o Paço das Escolas, onde encontramos a Via Latina, uma escadaria imponente do século XVII que tem o objetivo de facilitar o acesso ao Paço Reitoral, a Sala dos Capelos e os Gerais.
  • A Torre da Universidade de Coimbra: onde está o relógio que marcava o passo horário da universidade, e o sino que definia o funcionamento da instituição através do sinal sonoro. O Acesso à torre é feito por uma escadaria de 180 degraus ao longo dos 34 metros de altura da torre.
  • A Biblioteca Joanina, uma biblioteca histórica de vários pisos instalada num edifício de arquitetura barroca;
  • A Prisão Académica, uma prisão histórica onde os funcionários, estudantes ou professores da Universidade de Coimbra poderiam ser julgados e presos temporariamente, como medida disciplinar até 1834.

A Universidade de Coimbra disponibiliza aos visitantes a realização de três roteiros:

  1. Memorial da Irmã Lúcia: memorial dedicado à Irmã Lúcia, uma das três crianças que segundo os crentes assistiu ao milagre de Nossa Senhora de Fátima em 1917. O Memorial encontra-se localizado junto ao Carmelo de Santa Teresa. Recria a vida da Irmã Lúcia desde a altura das Aparições de Fátima até à sua morte no dia 13 de fevereiro de 2005
  2. Museu da Água: museu localizado no Parque Dr. Manuel de Braga. Está instalado numa antiga Estação de Captação de Água que vale a pena visitar pelos seus túneis antigos e pela mãe de água que alberga
  3. Museu da Ciência: o Museu da Ciência da Universidade de Coimbra pretende divulgar a ciência a todo o tipo de visitantes. Neste Museu é possível viajar no tempo ao visitar um laboratório de física do século XVIII. O Museu da Ciência integra os Museus da Física, Zoologia, Mineralogia e Botânico

2. Portugal dos Pequenitos

Portugal dos Pequenitos: é um parque temático onde as crianças e os adultos aprendem sentindo-se como gigantes. Portugal dos Pequenitos foi criado por por Bissaya Barreto em 1940, com representação numa escala diminuída da realidade, de, casas regionais portuguesas, dos principais monumentos de Portugal, representações das culturas e monumentos dos países africanos de Língua Oficial Portuguesa, do Brasil, de Macau, da Índia e de Timor. O parque temático Portugal dos Pequenitos inclui visitas de comboio e de barco a pedal nas mini cascatas. Entre os monumentos representados no parque, destacamos a Torre de Belém, o Mosteiro dos Jerónimos, a Universidade de Coimbra e as casas tradicionais de cada região de Portugal.

3. Mosteiro de Santa Cruz – Panteão Nacional

Igreja de Santa Cruz – Panteão Nacional: é uma igreja mais importante de Coimbra, declarada Monumento Nacional, com uma arquitetura de estilo Românico e Manuelino inaugurada no século XII. A Igreja de Santa Cruz tem o estatuto de Panteão Nacional, reconhecido em 2003. Entre as grandes figuras portuguesas aqui sepultadas incluem-se os dois primeiros reis de Portugal, D Afonso Henriques e seu filho D Sancho I.

Jardim da Sereia ou Parque de Santa Cruz: faz parte da estrutura do Mosteiro de Santa Cruz. Este parque integra o Terreiro do jogo da Pela, uma cascata e a Fonte da Nogueira com um Tritão, confundido com uma sereia pela população de Coimbra. No Parque de Santa Cruz encontramos uma área desportiva com o Campo de Santa Cruz, para a prática de futebol e o campo de basket ball.

4. Sé Velha de Coimbra

Sé Velha: a Catedral ou “Sé Velha” de Coimbra é um edifício histórico declarado Monumento Nacional, com uma arquitetura de estilos Românico, Gótico, e Renascentista, inaugurada em 1184. A Sé Velha de Coimbra destaca-se pela Porta Especiosa, pelo retábulo da capela-mor, pela Capela do Santíssimo Sacramento que apresenta a particularidade de em dias de sol ser possível ver os raios de sol a entrar na Sé Catedral.

5. Conímbriga – ruínas e museu monográfico

Conímbriga: é uma antiga povoação situada a 17km da cidade de Coimbra, que foi estabelecida desde a Idade do Cobre até ao século IX. Atualmente é a maior cidade romana de Portugal, classificada como Monumento Nacional. Aqui podemos visitar as ruínas da antiga povoação e o Museu Monográfico de Conímbriga, com uma exposição dos artefactos encontrados ao longo das escavações arqueológicas.

6. Jardim Botânico da Universidade de Coimbra

Jardim Botânico da Universidade de Coimbra: é um jardim botânico com uma coleção de plantas tropicais, narcisos, ornithogalum, suculentas, coníferas, e outras espécies distribuídos por uma área de 13,5 hectares. O Jardim Botânico da Universidade de Coimbra foi fundado em 1772 por ordem de Marquês de Pombal como parte integrante do “Museu de História Natural”. O Jardim está situado perto do Departamento de Ciências da Vida da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra. O Jardim é faz parte da Associação Ibero-Macaronésica de Jardins Botânicos e da BGCI (Botanical Gardens Conservation International). Este jardim foi criado pela Reforma do Marquês de Pombal da Universidade de Coimbra, com o objetivo de integrar e investigar vegetação de todo o mundo. O Jardim Botânico destaca-se pela natureza intensa e luxuriante, pelas fontes de uma beleza arquitetónica invulgar, pela existência de um jardim labiríntico, pelas estufas, e por ser um local único para a prática de atividades ao ar livre. Aqui no Jardim Botânico podemos ver um sistema hidráulico antigo a funcionar.

7. Mata Nacional do Choupal

Mata Nacional do Choupal: é uma zona de floresta de 80 hectares criada no século XVIII com árvores das variedades de Choupo, Amieiro, Freixo, Salgueiros, Ulmeiro e Lodão, com o objetivo de proteger a zona costeira de Coimbra das cheias do rio Mondego. Atualmente é um dos espaços de preferência para a população de Coimbra como zona de recreio, lazer e desporto.

8. Convento de São Francisco

Convento São Francisco: é um edifício do século XVII de arquitetura Maneirista, concebido originalmente para acolher os monges franciscanos. Desde 2016 foi transformado como local de excelência para a realização de congressos, colóquios e eventos corporativos, nacionais e internacionais, posicionado no setor do turismo de negócios (MICE – Meetings, Incentives, Conferences and Exhibitions). O auditório principal do Convento de são Francisco tem capacidade para 1125 lugares, com uma capacidade total de todas as salas e auditórios aproximada a 5000 lugares. A atração turísticas do Convento de São Francisco são a fachada da igreja, os detalhes do edifício, e os eventos culturais regulares.

9. Parque da Cidade Manuel Braga

Parque da Cidade Manuel Braga: é um parque situado perto do rio Mondego. No parque encontramos o Museu da Água, as antigas Barcas Serranas utilizadas para o transporte de mercadorias entre Penacova e Figueira da Foz, um coreto de 1904, e várias esculturas em homenagem a personalidades que viveram em Portugal, nomeadamente o busto de homenagem ao escritor Antero de Quental, um monumento em homenagem à poetisa Florbela Espanca, ao poeta e escritor António Arnaut, uma estátua comemorativa dos 40 anos de vida literária de Manuel Alegre, e o monumento em homenagem ao Dr. Manuel Braga, o grande impulsionador das áreas verdes da cidade de Coimbra.

10. Mosteiro de Santa Clara-a-Velha

Mosteiro de Santa Clara-a-Velha: ou Mosteiro de Santa Clara de Coimbra, é um mosteiro de arquitetura Gótica mendicante do século XIII. O mosteiro foi alargado por decisão da Rainha Santa Isabel que mandou construir o claustro e a igreja. O mosteiro acabou por ser abandonado devido às constantes inundações do rio Mondego. O Mosteiro de Santa Clara-a-Velha destaca-se pela imponência e dimensão do claustro, pelo jardim e pelas escavações arqueológicas que se encontram no exterior. Aqui existe um centro interpretativo onde podemos conhecer a história do Mosteiro e visitar o espólio de porcelanas e faianças, Rosários, anéis e muitos outros objetos deixados pelas freiras clarissas que viviam em clausura. O centro Interpretativo do Mosteiro de Santa Clara-a-Velha está instalado num espaço de 1000m2 composto pelo museu do Mosteiro de Santa Clara-a-Velha, auditório, salas de exposições, uma loja e uma cafetaria.

Outros locais a explorar na cidade de Coimbra e arredores

  • Parque Verde do Mondego: é um parque localizado nas margens do rio Mondego junto à a Ponte Pedonal Pedro e Inês, com ligação ao Parque Choupalino, situado na margem poente do rio onde encontramos o Clube Fluvial de Coimbra, a praia Fluvial do Choupalinho, e empresas ligadas a atividades náuticas, nomeadamente Stand Up Paddle, a Secção de Desportos Náuticos da AAC e monumentos históricos, e grandes atrações, nomeadamente o Mosteiro de Santa Clara-a-Velha e o Portugal dos Pequenitos. Este local integra vastos espaços verdes, restaurantes, as piscinas Jaime Lobo, um parque infantil e centros de exposições.

Porta de Barbacã

Porta de Barbacã: também conhecida por Porta e Torre de Almedina, é a entrada principal do Núcleo da Cidade Muralhada da cidade antiga de Coimbra, acedida a partir da porta da Barbacã, situada na rua Ferreira Borges.

Museu Nacional de Machado de Castro

Museu Nacional de Machado de Castro: é um dos mais importantes museus de Belas-Artes de Portugal, instalado nas antigas instalações do Paço Episcopal de Coimbra e um amplo edifício novo. O Museu Nacional de Machado de Castro tem um espólio com mais de dois mil anos de história composto por vários milhares de peças de arqueologia, escultura, ourivesaria, joalharia, pintura, desenho, cerâmica, têxteis, mobiliário, e 120 peças pertencentes ao Tesouro Nacional de Portugal.

Exploratório – Centro Ciência Viva de Coimbra

Exploratório – Centro Ciência Viva de Coimbra: foi o primeiro centro de ciência a ser criado em Portugal. Atualmente tem a função de promover a cultura científica na Região Centro de Portugal, em associação com a Universidade de Coimbra a Câmara Municipal de Coimbra, o Instituto Politécnico de Coimbra e a Fundação Bissaya Barreto. O Exploratório está instalado num edifício junto ao rio Mondego, onde podemos experienciar a visualização de filmes 360º no Hemispherium, uma sala de cinema com um teto em forma de cúpula, visitar a exposição “Em Forma com a Ciência” dedicada a temáticas relacionadas com a saúde, organizada em sete temas correspondentes a cada um dos sistemas do corpo humano controlados pelo cérebro; e muitas atividades dedicadas ao público infantil.

PO.RO.S – Museu Portugal Romano em Sicó

PO.RO.S – Museu Portugal Romano em Sicó: é um museu interativo inovador com tecnologias que estimulam os sentidos, representando temas alusivos à presença dos romanos nas Terras de Sicó, com o objetivo de divulgar a história cultural das terras de Sicó, no império de Conímbriga. No edifício do museu existe uma cafetaria com produtos da região, e esplanada com vista para o Parque Verde da Ribeira de Bruscos. O PO.RO.S – Museu Portugal Romano em Sicó é um museu recomendado para adultos e crianças, com uma forma fácil e divertida de aprender sobre as civilizações do império romano.

Igreja de Santo António dos Olivais

Igreja de Santo António dos Olivais: é uma igreja histórica do século XIII com um pórtico e uma imponente escadaria, ladeada por seis capelas com figuras de barro em representação da vida de Cristo

Jardim da Manga

Jardim da Manga: também conhecido como Claustro da Manga, é um logradouro de arquitetura renascentistas do século XVI classificado como Monumento Nacional.

Sé Nova de Coimbra

  • Sé Nova: é a sede da Diocese de Coimbra e da Paróquia da Sé Nova, instalada num edifício de arquitetura de estilos Maneirista e Barroco. A construção da Sé Nova de Coimbra começou em 1598 e terminou no ano de 1698. As atrações da Sé Nova de Coimbra são a fachada imponente sobre o Largo Feira dos Estudantes, o claustro, e o altar ricamente decorado em talha dourada.

Moinhos de Gavinhos

Moinhos de Gavinhos: são o ex-libris de Figueira de Lorvão. Consistem nos 14 antigos moinhos de vento utilizados para a moagem dos cereais, situados num topo da povoação de Gavinhos, com uma vista panorâmica para a serra do Buçaco e para a Serra da Aveleira. É um local de natureza, muito procurado para caminhadas, fotografia de paisagem, e pôr-do-sol. Aqui existe um parque infantil e um café bar.

Piscina Natural de Ançã

Piscina Natural de Ançã: é uma piscina natural com fundo de pedra, alimentada pela Fonte de Ança, que debita mais de 20000 litros de água por minuto. Aqui é a origem da pedra de Ança, um tipo de pedra natural utilizada historicamente em monumentos como o Mosteiro da Batalha

Monumento a Joaquim António de Aguiar

Monumento a Joaquim António de Aguiar: é a estátua em homenagem a Joaquim António de Aguiar, o político português conhecido por “Mata-Frades” responsável pela de 30 de Maio de 1834, que declarava extintos “todos os conventos, mosteiros, colégios, hospícios, e quaisquer outras casas das ordens religiosas regulares”, sendo os seus bens secularizados e incorporados no Tesouro Nacional do Estado Português. A estátua está situada no Largo da Portagem, a entrada para a zona histórica de Coimbra, um importante ponto de encontro onde os antigos comerciantes pagavam o imposto antes de entrar na cidade. Atualmente é um local agradável frente ao rio Mondego, com esplanadas, e local de entrada na zona de comércio pedonal da cidade de Coimbra.

Capela de São Miguel

Capela de São Miguel é uma capela de arquitetura Manuelina do século VI, localizada na Universidade de Coimbra, classificada como Monumento Nacional e Património Mundial da UNESCO. As atrações da capela são o Portal de estilo Manuelino, o retábulo principal altamente decorado com talha dourada, o órgão de grande imponência, e os tetos pintados com gravuras coloridas e o símbolo da coroa portuguesa

Quinta das Lágrimas

Quinta das Lágrimas: é um local cheio de história com árvores centenárias, ruínas medievais e neogóticas, criado no século XIV com o objetivo de levar água de duas nascentes até ao Convento de Santa Clara, na então Quinta do Pombal. Atualmente a Quinta das Lágrimas consiste num jardim de 18 hectares ao redor da Quinta da Lágrimas, um palácio do século XIX transformado em hotel de luxo. Na Quinta das Lágrimas encontramos a Fonte do Amor e a Fonte das Lágrimas, local onde eram entregues as cartas escritas por D. Pedro I a D. Inês de Castro. Esta quinta deve o seu nome devido a ter sido o local de romance do rei português D Pedro e D Inês de Castro, e onde D. Inês terá sido assassinada.

Miradouro De Penacova

Miradouro De Penacova: também conhecido por Mirante Emydgio da Silva, é um miradouro frente ao antigo hotel de Penacova, com uma cúpula datada de 1908 de onde temos uma vista panorâmica fantástica sobre o vale do Mondego de Penacova.

Livraria do Mondego

Livraria do Mondego: é um geomonumento de rocha natural constituído por quartzíticos do Ordovícico, situado nas margens do rio Mondego junto a Penacova. Este geomonumento foi esculpido ao longo de centenas de milhões de anos através da erosão do rio, e da pressão das forças tectónicas, criando uma forma espetacular de rocha talhada vertical que simula a forma de livros numa prateleira, visível desde a estrada N2. Existe um passadiço de madeira, de onde podemos visualizar a Livraria do Mondego.

Aqueduto de São Sebastião

Aqueduto de São Sebastião: também conhecido como os Arcos do Jardim, é um aqueduto romano em pedra composto por 21 arcos, restaurado no século XVI, classificado como Monumento Nacional, que abastecia antigamente a parte alta da cidade de Coimbra. O aqueduto está localizado junto ao Jardim Botânico da Universidade de Coimbra.

À Capela

À Capela: é uma casa de fados em Coimbra instalada na Capela de Nossa Senhora da Vitória do século XIV, um edifício histórico classificado de Património Histórico de Interesse Municipal. A À Capela é tem espetáculos diários e serviço de refeições.

Igreja de São Tiago

Igreja de São Tiago: é um dos grandes monumentos em estilo românico da cidade de Coimbra, datada do século XII, a igreja de São Tiago está localizada na Praça do Comércio em pleno centro histórico de Coimbra. A igreja é um dos pontos de partida dos peregrinos para o caminho de Santiago de Compostela.

Miradouro Penedo da Saudade

Miradouro Penedo da Saudade: é local onde de acordo com a lenda, o rei D Pedro ia chorar a morte de D Inês. Este penedo inclui um jardim e bustos de figuras da cultura portuguesa, nomeadamente António Nobre e Eça de Queiroz. Desde o Miradouro Penedo da Saudade temos uma vista panorâmica sobre parte oriental da cidade até ao rio Mondego, a serra do Roxo e a serra da Lousã. Ao longo do Penedo da Saudade encontramos inúmeros poemas de amor e dedicatórias escritos em pedras.

Ponte Rainha Santa Isabel

Ponte Rainha Santa Isabel é a ponte inaugurada em 2004 sobre o rio Mondego que permite um acesso mais rápido à zona sul da cidade de Coimbra.

Lapa dos Esteios

Lapa dos Esteios: também conhecida por Quinta das Canas, fica situada na margem esquerda do rio Mondego na saída Sul de Coimbra, junto à Ponte Rainha Santa Isabel. A Quinta das Canas tem como destaque o miradouro que proporciona uma vista panorâmica sobre Coimbra e o rio Mondego, uma floresta com vegetação originária de todo o mundo, placas de mármore cravadas na rocha a celebrar artistas da cidade, e uma fonte rodeada de estátuas com a particularidade de estarem todas de costas voltadas para a cidade.

Reserva Natural do Paul de Arzila

Reserva Natural do Paul de Arzila: é um parque natural de pinheiros localizado fora da cidade, na margem esquerda do rio Mondego. Este parque natural carateriza-se por ter uma flora muito variada, composta por lírio-amarelo, erva-pinheirinha, choupos, salgueiros, eucaliptos e pinheiros. Este parque natural é uma zona privilegiada em Coimbra para observação de aves migradoras que vêm aqui nidificar.

Mata Nacional de Vale de Canas

Mata Nacional de Vale de Canas: inaugurada no século XVI, integra uma fauna e flora variada. Tem o maior eucalipto da Europa, com aproximadamente 75 metros de altura. Aqui podemos passear, fazer piqueniques, realizar atividades desportivas ao ar livre, nomeadamente corrida e BTT.

Centros comerciais em Coimbra

Fórum Coimbra

Fórum Coimbra: é o centro comercial maior e mais procurado em Coimbra, composto por três pisos, 147 lojas, que incluí área de restaurantes, hipermercado Continente, loja Fnac, seis salas de cinema, estacionamento

Alma Shopping

Alma Shopping: é um centro comercial com 4 pisos, 114 lojas, hipermercado Auchan, zona de restaurantes, cinema, e outros serviços.

Coimbra Shopping

Coimbra Shopping é um centro comercial com 2 pisos, aproximadamente 60 lojas, hipermercado Continente, zona de restaurantes e outros serviços.

  • Parque Linear do Vale das Flores: é um parque com um circuito pedonal e um parque infantil no centro da zona urbana, frente ao Coimbra Shopping. É um dos locais agradáveis para a prática de atividades desportivas em Coimbra.

Locais a visitar perto de Coimbra

Museu do Azeite

Museu do Azeite: é um museu instalado num edifício de arquitetura altamente contemporânea em forma de ramo de oliveira, dedicado à história milenar da produção de azeite, situado na antiga cidade romana de Bobadela, Oliveira do Hospital, perto da Serra da Estrela. O espólio do Museu do Azeite dá a conhecer as máquinas e processos criados ao longo dos tempos pelos homens para a extração de azeite, valorizando a história e património da região, aliado à contribuição do desenvolvimento turístico. No Museu do Azeite existe o “Cantinho da Ciência” um espaço com atividades ao dispor dos mais novos, com jogos pedagógicos interativos, onde os jovens brincam como cientistas à descoberta do processo, desde a criação da azeitona à produção do azeite.

Lousã

Lousã: é uma vila do distrito de Coimbra com cerca de 18 mil habitantes. Lousã é povoada desde a época dos Romanos devido aos seus subsolos serem ricos em ouro. Lousã recebeu um foral em 1513 no reinado de D Manuel I. No século XVIII esta vila cresceu devido às indústrias do papel e da fiação. Atualmente Lousã destaca-se pelo artesanato, nomeadamente a cestaria, cerâmica e bordados. Da gastronomia da Lousã destacamos o cabrito assado, a chanfana, as migas, a tibornada no Lagar, a broa de milho e o arroz doce. Em Lousã, as grandes atrações são:

  • Serra da Lousã, uma serra com 1205 metros de altitude no ponto mais elevado em Trevim, parte do Sistema Montejunto-Estrela. A Serra da Lousã é conhecida pela existência 12 das 27 Aldeias de Xisto de Portugal, nomeadamente as aldeias de Aigra Nova, Aigra Velha, Candal, Casal de São Simão, Casal Novo, Cerdeira, Chiqueiro, Comareira, Ferraria de São João, Gondramaz, Pena, e Talasnal. Além das aldeias de Xisto existentes na Serra da Lousã, aqui encontramos
  • o Parque Biológico da Serra da Lousã, um parque que mantém a maior amostra da fauna selvagem de Portugal, com o objetivo de preservar as espécies selvagens existentes no território. Aqui podemos caminhar e observar águias, corujas, linces, lobos, raposas, javalis, gamos, veados, corços, cabras e outros animais selvagens.
  • Castelo da Lousã: também conhecido por Castelo de Arouce é um castelo medieval do século XI, classificado como Monumento Nacional, situado na margem direita do rio Arouce. O Castelo está em bom estado de conservação. Perto do Castelo da Lousã podemos visitar o Santuário de Nossa Senhora da Piedade, situado perto da cascata numa praia fluvial, o Miradouro da Piedade com vista sobre o Castelo da Lousã e o Santuário Senhora da Piedade
  • Baloiço da Lousã: é um baloiço construído em madeira, situado a 1205 metros, no Alto de Trevim, o ponto mais alto da Serra da Lousã. O baloiço é muito procurado pela fotografia e pela paisagem deslumbrante, conhecido vulgarmente como o baloiço mais famoso de Portugal.

Figueira da Foz

Figueira da Foz: é a cidade costeira mais importante do distrito de Coimbra, localizada a cerca de 40 kms da cidade de Coimbra. Tem aproximadamente 59 mil habitantes. Figueira da Foz é uma atração balnear que recebe uma grande afluência de turistas durante o verão devido às suas extensas praias, transformando-se num cento cosmopolita único na região. O património de destaque na Figueira da Foz inclui o Museu Municipal Dr. Santos Rocha, a Igreja de São Julião, o Núcleo Museológico do Mar e o Forte de Santa Catarina. A gastronomia da Figueira da Foz tem um conjunto de especialidades, nomeadamente a sopa de peixe da Figueira, o camarão da Costa da Figueira, a raia de Pitau, e os doces Brisas da Figueira.

  • Casino Figueira, é o ex-libris da Figueira da Foz, inaugurado em finais do século XIX. O Casino Figueira é um casino com salas de jogos de roleta, blackjack e pôquer, slot machines, e uma sala de teatro onde acontecem muitos espetáculos de arte e entretenimento de nível internacional.
  • Praia de Quiaios: é a praia da pequena povoação da Murtinheira, uma praia selvagem situada a norte da Figueira da Foz, composta por com um areal extenso, e uma paisagem composta pela Serra da Boa Viagem.

Montemor-o-Velho

Montemor-o-Velho: é uma vila localizada numa zona estratégica do distrito de Coimbra, a cerca de 20 km da cidade de Figueira da Foz, Montemor-o-Velho apresenta património, fauna e flora muito ricos, nomeadamente, o Castelo de Montemor-o-Velho, um castelo do século XI em boas condições de preservação situado em posição dominante sobre a vila, na margem direita do rio Mondego. Dentro das muralhas do castelo encontramos a Igreja de Santa Maria da Alcáçova, uma igreja do século XI restaurada ao longo dos séculos. Em Montemor-o-Velho encontramos também a Reserva Natural do Paúl de Arzila. Neste concelho podemos apreciar especialidades gastronómicas únicas, nomeadamente o arroz de lampreia, o sável frito, os pastéis de Tentúgal ou os doces Papos de Anjo.

Góis

Góis: é um concelho do distrito de Coimbra, situado a leste de Coimbra. Em Góis destacamos a Igreja Matriz de Góis, a Igreja da Misericórdia, o Ecomuseu de Góis, a Praia Fluvial da Peneda e a Praia Fluvial das Canaveias.

Pampilhosa da Serra

Pampilhosa da Serra: é uma vila com vistas fantásticas, a Cascata da Serra da Boa Viagem, uma queda de água, que infelizmente seca nos meses mais quentes. O patrimônio de Pampilhosa da Serra é composto pela Igreja Matriz, a Capela da Misericórdia, a Capela de Santo António, a Capela de São Sebastião, a Capela de São Jerónimo, o Museu Municipal e o Miradouro do Cristo Rei de Pampilhosa da Serra. Aqui encontramos a praia fluvial de Dornelas do Zêzere e a praia fluvial de janeiro de Baixo.

Penacova

Penacova: é uma vila localizada a 22 km de Coimbra na margem direita do rio Mondego, rodeada pelas serras do Buçaco e do Roxo proporciona uma paisagem luxuriante e única. Em Penacova destacamos a Igreja Matriz, a Capela da Senhora do Monte Alto, a Capela de Nossa Senhora da Guia, a Quinta da Ribeira, o Miradouro Raúl Lino, o Mosteiro de Lorvão, a Barragem da Aguieira, e os Moinhos de Gavinhos.

Mata do Buçaco

Mata do Buçaco: a Mata Nacional do Buçaco, situada na Serra do Buçaco no concelho da Mealhada, foi plantada pela Ordem Religiosa dos Carmelitas Descalços no século XVII, aqui encontramos um convento que funcionou entre 1628 e 1834, ano em que foram extintas as ordens religiosas em Portugal. O palácio Real da Mata Nacional do Buçaco foi construído em 1888. A Mata do Buçaco presenciou uma das batalhas mais importantes contra as tropas de Napoleão em 27 de setembro de 1827, infringindo uma pesada derrota ao general Massena. Neste local vale a pena visitar o convento de Santa Cruz do Buçaco, o Museu Militar do Buçaco, e o Palácio do Buçaco

  • Palácio do Buçaco: é um hotel instalado num palácio de estilo manuelino do século XIX, classificado monumento nacional, Imóvel de Interesse Público, considerado último legado dos reis de Portugal. O edifício está decorado com painéis de azulejos, frescos e quadros alusivos à Epopeia dos Descobrimentos portugueses evocando Os Lusíadas, os Autos de Gil Vicente e a Guerra Peninsular, graciosas esculturas de António Gonçalves e de Costa Mota, telas de João Vaz ilustrando versos da epopeia marítima de Luís Vaz de Camões, frescos de António Ramalho e pinturas de Carlos Reis

Cantanhede

Cantanhede: é uma cidade capital de concelho dividido nas 14 freguesias de Ançã, Cadima, Cantanhede e Pocariça, Cordinhã, Covões e Camarneira, Febres, Murtede, Ourentã, Portunhos e Outil, Sanguinheira, São Caetano, Sepins e Bolho, Tocha, e Vilamar e Corticeiro de Cima. Em Cantanhede podemos visitar:

  • o Museu da Pedra, com uma exposição excelente sobre peças arqueológicas que datam do Paleolítico, fósseis com mais de 65 milhões de anos, uma exposição curiosa de computadores zx spectrums e Sinclair. Cantanhede está situada a 34 minutos de Figueira da Foz.

Serra do Açor

Serra do Açor: é uma serra no centro de Portugal, junto à Serra da Estrela, que abrange Arganil, Pampilhosa da Serra, Covilhã, Seia, Oliveira do Hospital e Góis. O ponto mais alto da Serra do Açor é o Pico de Cebola, a 1418 metros de altitude. Na Serra do Açor encontramos:

  • Cascata da Fraga da Pena: é uma queda de água de 20 metros por entre rochedo de xisto e vegetação autóctone. A cascata da Fraga da Pena é uma das grandes atrações da Serra do Açor.

Piódão

Piódão: é uma aldeia classificada como Imóvel de Interesse Público, uma aldeia típica de Portugal. Em Piodão podemos visitar a capela de São Pedro, a capela de São João, a capela de Santa Bárbara, a capela da Senhora da Saúde e a capela da Senhora do Bom Parto. Aqui encontramos a praia Fluvial de Piódão, situada na ribeira de Piodão,

Arganil

Arganil: é uma Vila, sede de município com as 14 freguesias de Arganil, Benfeita, Celavisa, Cepos e Teixeira, Cerdeira e Moura da Serra, Côja e Barril de Alva, Folques, Piódão, Pomares, Pombeiro da Beira, São Martinho da Cortiça, Sarzedo, Secarias, e Vila Cova de Alva e Anseriz.

Castelo de Penela

Castelo de Penela: é um castelo medieval do século XII em estilo gótico, erguido numa encosta sobre a povoação de Penela. No interior do castelo podemos visitar a Igreja Matriz de São Miguel de Penela.

Cascata da Pedra da Ferida

Cascata da Pedra da Ferida:é uma cascata situada na Serra do Espinhal, com uma queda de água de 25 metros por entre rocha e vegetação

Festas e Romarias de Coimbra

  • Festas da Cidade de Coimbra e da Rainha Santa Isabel: realizam-se anualmente em julho para homenagear a padroeira Santa Isabel. Esta festa acontece com a procissão noturna e a procissão diurna.
  • Feira Medieval de Coimbra: realiza-se anualmente em julho no Largo da Sé Velha.
  • Feira dos Lázaros: realiza-se no Domingo de São Lázaro com o objetivo de recriar uma antiga tradição de Coimbra, com a brincadeira das arrufadas e a venda de doces pelas crianças.
  • Feira de Gastronomia e Artesanato: realiza-se anualmente em julho.
  • Festa das Latas dos Estudantes da Universidade de Coimbra: realiza-se anualmente em outubro. É a festa de receção aos novos alunos da Universidade. Durante uma semana acontecem concertos, atividades culturais e desportivas, e termina com um cortejo académico pelas ruas da cidade.
  • Queima das Fitas dos Estudantes da Universidade de Coimbra: realiza-se anualmente em maio, é a maior festa estudantil de toda a Europa. Esta festa acontece durante oito dias, igual ao número de faculdades que constituem a Universidade de Coimbra. A semana da Queima das Fitas tem início com a Serenata Monumental nas escadas da Sé Velha, o Baile de Gala das Faculdades, a Garraiada, a Venda da Pasta, a Queima do Grelo e o Cortejo dos Quartanistas.

A gastronomia de Coimbra

A gastronomia de Coimbra é rica e variada. Os pratos típicos desta região incluem especialidades únicas no mundo:

  • Arroz de Lampreia
  • Arroz doce à moda de Coimbra
  • Chanfana
  • Leitão Assado da Bairrada
  • Sopa de Casamento

O artesanato de Coimbra

O artesanato da região de Coimbra inclui tradições como as colchas de trapos, os bordados, a latoaria, os barros pretos, as peças de cerâmica, a cestaria de vime, a canastraria, as seiras e os capachos.

A economia de Coimbra

A economia do distrito de Coimbra é uma economia muito dinâmica e inovadora em Portugal. É em Coimbra que encontramos o Instituto Pedro Nunes, considerado a melhor incubadora tecnológica do mundo, distinção recebida pelo prémio Best Science Incubator. A grande maioria das empresas concentra-se nos serviços, comércio e no setor imobiliário. Nas indústrias transformadoras destacamos a indústria panificadora, a indústria da madeira, a indústria da cortiça, a indústria dos minerais não metálicos e a indústria de produtos metalúrgicos.
A maior parte destas indústrias estão localizadas nos dois parques industriais que existem nesta cidade, o Parque Industrial de Eiras e o Parque Industrial de Taveiro.
Coimbra é um importante centro de atração turística, encontrando-se nesta região 3.3% dos estabelecimentos hoteleiros e 2.1% das camas disponíveis no país.
Em Coimbra a agricultura continua a desempenhar um papel relevante na economia. Entre as produções agrícolas destacamos o arroz, o milho, os produtos hortícolas, a fruta e o vinho.

Localização geográfica e clima

Coimbra é uma cidade localizada na região centro de Portugal. Coimbra fica situada aproximadamente a uma distância de 122 km da cidade do Porto e a aproximadamente 207 km de Lisboa. O natural de Coimbra chama-se de coimbrão, conimbricense ou conimbrigense. O distrito de Coimbra apresenta um clima ameno com temperaturas que variam entre os 30ºC no Verão e os 5ºC e os 14ºC no Inverno. O distrito de Coimbra faz fronteira com os distritos de Aveiro e Viseu a Norte, com o distrito da Guarda a Nordeste, com o distrito de Castelo Branco a Leste, com o distrito de Leiria a Sul e com o oceano Atlântico a Oeste. O distrito de Coimbra está dividido em 17 concelhos, nomeadamente:

  • Arganil
  • Cantanhede
  • Coimbra
  • Condeixa-a-Nova
  • Figueira da Foz
  • Góis
  • Lousã
  • Mira
  • Miranda do Corvo
  • Montemor-o-Velho
  • Oliveira do Hospital
  • Pampilhosa da Serra
  • Penacova
  • Penela
  • Soure
  • Tábua
  • Vila Nova de Poiares

As serras mais importantes do distrito de Coimbra são Açor, Lousã, o Cabeço do Souto, Vieiro e Urra. Os rios mais importantes do distrito de Coimbra são: Alva, Arunca, Corvo, Mondego e Seia. O rio Mondego é o maior rio português com uma extensão de 234 km. Este rio nasce na Serra da Estrela a 1425 metros de altitude, na localidade de Mondeguinho no concelho da Guarda, e desagua na Figueira da Foz. A bacia hidrográfica do rio Mondego tem uma área de 6644 km2 e inclui locais que proporcionam paisagens única, nomeadamente a Barragens de Aguieira e Raiva e a Livraria do Mondego, em Penacova.

Factos rápidos de Coimbra

  • População da região de Coimbra: aproximadamente 433 mil habitantes
  • População da cidade de Coimbra: aproximadamente 134 mil habitantes
  • Área: 319.4 kms2
  • Ano de fundação do município: 1111
  • Distrito: Coimbra
  • Antiga Província: Beira Litoral
  • Santa Padroeira: Santa Isabel de Portugal
  • Feriado municipal: 4 de julho
Back to Top
error: